quinta-feira, 31 de março de 2011

Preferências gastronómicas

Arroz com ervilhas
Ervilhas estufadas com coelho
Sopa com ervilhas
Ervilhas com ervilhas

Notam aqui algum padrão de preferência? Nããããoooo, pois não?

Eu sei que era difícil...

Pomba!

Ele sempre gostou muito de pombas e gaivotas. Vê-as da janela de casa do avô ou quando vem do infantário e faz uma festa. Sem se chegar a elas, claro. :-)

E "pôpa"?

Quem sabe o que significa?

quarta-feira, 30 de março de 2011

Popó

É a palavra de ordem. Não sei com quem a aprendeu porque nós nunca a dizemos: quando falamos em "popós" dizemos carros ou automóveis. Era uma excitação cada vez que via um popó... coisa rara numa cidade, como devem imaginar! O pessoal devia pensar que o nosso bebé não estava bem tais eram os guinchos de alegria que dava a ver os carros passarem. Como se nunca os tivesse visto. Começou com esta alegria quando entramos num stand onde o tia ia comprar um carro, em Coimbra. E nunca mais parou! Devem ser os carros de Coimbra que são mais giros que os outros. :-)

Nivea de lata azul

Foi com este maravilhoso produto que em dois dias resolvi o problema do queixo do João.
Ainda experimentei a vaselina que a Ana recomendou e pareceu que estava a melhorar lentamente. Mas nem sei bem como lembrei-me que este creme é recomendado inclusivé para ajudar a disfarçar cicatrizes de cirugias... tinha em casa e resolvi experimentar. Em dois dias o "queixo-lixa-lingua-de-gato-cheio-de-borbulhas" voltou a ser o "queixo-suave-rabinho-de-bebé-não-assado". Recomendo! Bom, barato... e o míudo ficou mais bonito!

É Primavera na creche!

Depois do trabalho dedicado ao Inverno, o desafio era agora um trabalho de casa sobre a Primavera. Foi isto que saiu...

terça-feira, 29 de março de 2011

Evoluções das últimas semanas

Da linguagem, para além dos "Mamã, Papá, Já tá! Oh!" temos os seguintes vocábulos:

Ãoão - cão
Cucu!
Cocao - colacao
Cocó - o dito cujo
Avô ou Bubu ou Babu
Pêta - chupeta
Cocó - a galinha
Popó - carro
Minhau - gato
Atu - gato
Azul
Futa - fruta, mas às vezes substitui o F por um P. O que nem sempre dá jeito. Em especial em sítios públicos.
Nita - Marianita (a da música)

Começa a repetir imediatamente o que dizemos. Ontem eu disse-lhe que a rã fazia "Rabbit". Imaginem-no a enrolar a  lingua o mais possivel para dizer algo parecido ao que eu disse. E disse. Um mimo! Mas na linguagem continua muito atrasado quando comparado com a maior parte das crianças da idade dele que eu conheço. Nada de preocupante, claro. cada um ao seu ritmo. Só o refiro porque dava muito jeito se ele já se expressasse melhor.

Identifica nos livros o carneiro, o cavalo, o porco, a galinha, o pato, a vaca e muitos outros objectos do dia a dia. Coisas que nem sequer eu imaginava que ele já conseguisse saber o nome e apontar num livro com imagens desenhadas (em vez de reais). Conhece as partes quase todas do seu corpo e consegue apontá-las no dele e no nosso. Está a aprender as cores na creche.

Dá mais beijinhos a pedido, muito embora seja só quando quer ou está distraído. De manhã, quando o pai o leva à creche e diz "Dá beijinho à mãe", ele dá dois beijinhos sseguidos sem sequer tirar a chupeta. E é o que há!

É ágil e tem uma força descomunal. Trepa a tudo o que consegue e tenta trepar ao que não consegue. Corre que se farta de uma forma muito, muito gira. É um patareco a correr. Ri-se que nem um perdido quando corremos atrás dele.

Adora gulodices como iogurtes, fruta, bolachas. Também gosta de comidinha como arroz e massa com qualquer coisa. A sopa e a papa andam numa fase menos boa. Mas optei por fazer sopa inteira e ele já come melhor. Especialmente se tiver ervilhas ou massa.

Continua a adorar música: seja clássica, seja pop, seja infantil. Adora ver os seus dvd's e dança que nem um tonto (e às vezes fica mesmo tonto). Quando o dvd chega ao fim ele sabe perfeitamente qual é o botão do comando que o põe a funcionar. E o dvd volta ao activo! O pai disse isto este fim de semana a uns amigos e eu pensei com os meus botões "Foi coincidência! Coisas de pai babado!". Mas não, é pura verdade. Ontem fê-lo umas 3 vezes. Aliás: telemoveis, máquinas fotográficas, comandos, nada disto já tem mistério para o João.

Quanto a desenhos animados continua a ver só o Pocoyo (já vos disse que já não posso ouvir aquela música?). Ele gosta, parecem-me educativos e simples: uma óptima escolha.

Surpreende-se e fica maravilhado com tudo! Está a descobrir a vida. E nós com ele. E é muito bom.

(E tanta coisa fica sempre por dizer... ai esta cabeça!)

O João e a Chanel

A Chanel é a gata dos amigos com quem estivemos no fim de semana. Segundo eles (e nós comprovamos) é uma gata-cão. Gosta de mimo, de brincadeira, de pessoas. Um amor de bicho. Mesmo.

O João passou a tarde a desafiá-la: no jogo do gato e do rato.  Chamava por ela, ria-se para ela, mandava-lhe beijinhos, queria dar-lhe o brinquedo dela, mas... isto tudo sempre com um metro de distância da bichinha. Se ela se tentava aproximar ele começava a recuar até estar com uma distância de segurança. De preferência atrás das pernas dos pais ou dos tios emprestados. Não forçamos a relação porque seria meio caminho andado para ele não conseguir chegar-se a ela. O máximo que conseguimos foi uma festinha (e também uma palmada) na gata. Mas houve dois momentos divinais.

O primeiro foi quando o João circulava pela casa dos nossos amigos e a gata o encurralou num canto. Foi de rir! A gata não se chegou a ele, mas ele para fugir tinha que passar por ela. Gerou-se ali um momento de tensão prontamente resolvido pelo pai que o foi salvar.

O segundo foi quando a gata estava no sofá e o João de pé no chão. Chegou-se a ela, baixou-se para ficar cara a cara (ou cara a focinho!) com a gata e mandou-lhe um beijinho pelo ar. Dez miseros centimetros sepravam-nos. Uma proeza para o João. :-)

À vinda embora dizia-lhe adeus com toda a intensidade e mandava-lhe beijinhos como nunca fez a mais ninguém. Mas à distância, claro!

segunda-feira, 28 de março de 2011

O fim de semana foi...

Bom, mau e assim assim.

É isto mesmo, tudo ao mesmo tempo.

João com nova otite na 6ª feira detectada quase antes de ser otite graças à experiência da educadora neste tipo de coisas, tenho que admitir. Tomar o antibiótico é o drama de sempre, custa-nos mesmo muito. A todos.

Passeios em Lisboa muito limitados devido ao tempo feio e alguma chuva. Não podiamos arriscar a que ele ficasse constipado. Mudança da hora baralhou-nos e roubou-nos uma hora do fim de semana. João roubou-nos umas horas de sono com o seu vira e mexe durante a noite (na sexta dormiu connosco).

Pequeno almoço no Starbucks. Compras e brincadeiras num shopping amigo das crianças. Tarde deliciosa em casa de uns amigos com direito a prolongamento para jantar no Chinês em Belém e uma fugida nocturna ao parque infantil (estava melhor que de dia).  O João esteve extraordinariamente bem disposto o dia todo.

Arriscaria dizer que, ainda assim, cresceu durante este fim de semana.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Bom fim de semana...

(apanhado a tentar fugir do banho para ver o Pocoyo)

As sapatilhas azuis

Habitualmente compramos os sapatos para o João num outlet da Geox. No fim de semana pasado fomos lá porque ele estava a precisar de umas sapatilhas azuis ultra resistentes para usar habitualmente na creche. As únicas que lhe serviam bem e que nós gostavamos tinham um extra que não é fantástico: umas luzinhas azuis que piscam quando ele anda. Ele já teve umas semelhantes em que as luzinhas eram amarelas e que, apesar de eu não ter gostado logo à partida (foi o pai que escolheu), habituei-em a elas facilmente. A luz não é assim tão forte nem visivel,  muito menos durante o dia. Por isso arrisquei e trouxe umas novas com luz azul. Mas a luz destas é azul forte. Durante o dia é pacífico, quase nem se nota. À noite ou às escuras... parece que temos um carro da polícia à nossa frente!

O João acha um piadão, claro! Ontem, em casa do avô, atravessamos um longo corredor às escuras. Ele dava dois passos e parava para ver as luzes. Depois ficava muito aborrecido porque estas apagavam. Dava mais dois passos e voltava a parar para apreciar o espectáculo. E andou, andou, andou...

[Adenda: o outlet da Geox fica num centro comercial outlet em Tui, pertinho de Valença]

quinta-feira, 24 de março de 2011

"Atirei o pau ao gato"

"Tu tu tu!" diz o João.
"Mas o gato não morreu" diz a música.
"Tu, tu, tu!! diz outra vez o João.
:-)

Hmmmm...

Hoje estava um bocadinho choroso pela manhã e bebeu apenas metade do leite habitual. E quando acabou teve um vómito (embora não tenha passado disso). Lá comeu umas bolachas para compensar, mas já fiquei com a pulga atrás da orelha. É certo que saiu de casa feliz e contente a dizer-me adeus, mas... vamos lá ver. Se calhar o fim de semana em Lisboa ainda vai ser cancelado :-(

E é por estas e por outras que já comuniquei ao Avô que em Junho, quando formos à Madeira, a partir da 4ª ou 5ª feira anterior vai ficar em casa com ele. A viagem vai ser feita no domingo e não posso arriscar levá-lo para a creche, deixá-lo apanhar uma virose qualquer e ter que cancelar a viagem.

[Também pode acontecer em casa, é certo, mas a probabilidade de acontecer na creche aumenta exponencialmente!]

quarta-feira, 23 de março de 2011

Isto está a ficar bonito...

Uma vez li que se não quiseremos deixar uma criança fazer alguma coisa, então não devemos nunca abrir excepções. E cada vez mais acho que é verdade.
Deixamos duas ou três vezes o João vir para o nosso colo enquanto estavamos sentados no carro (estacionados, obviamente). Lá esteve a mexer no rádio, nos comandos junto ao volante, a "conduzir", etc. Pois agora ele não quer outra coisa. Para o sentar na cadeira do carro é um castigo: só quer ir para os lugares da frente brincar. E quando o tiramos da cadeira, outro castigo: quer logo abrir a porta da frente para ir mexer em tudo. E de quem é a culpa? Nossa, obviamente. O que vale é que depois de sentado na cadeira fica muito bem a ver a paisagem e não reclama de nada.

(E resistir ao ar feliz e satisfeito enquanto se sente crescido e a conduzir? Não há condições!!!)

terça-feira, 22 de março de 2011

Não está muito mau, pois não?


E parabéns pelos 20 meses! Continua a crescer como até agora: feliz, saudável, lindo!

Do corte de cabelo

Se precisarem de uma cabeleireira não me chamem, estamos de acordo?
No Domingo, pela noitinha, o João ficou sem franja. O objectivo era cortar o cabelo que, quando não estava penteado, ia para a frente dos olhos. A cabeleireira era eu. O animador era o pai. De repente... ups! Acabei por cortar mais do que queria... o que vale é que mesmo assim o miudo fica muito giro. Mesmo.

[Será que cresce mais um bocadinho a tempo do baptizado? Não é por mim que eu acho que assim fica giro e bem mais penteado! Mas a bisavó adora os cabelos mais compriditos... acho que vai ter um treco quando o vir!]

segunda-feira, 21 de março de 2011

Fim de semana em (algumas) fotos










Do excelente fim de semana!

Brincadeiras no parque infantil, passeio na praia com direito a molhar os pés, ver os amados aviões de perto, lanche ao pôr do sol junto à praia. Dormir pouco, muito pouco. Sestas quase nem vê-las. Parece que adivinha que o tempo é pouco para tudo o que podemos aproveitar.
Ainda falta muito para o próximo fim de semana?

[Fotos já de seguida... assim que conseguir reduzir as "gigantescas" fotos que a máquina nova tira!]

sábado, 19 de março de 2011

sexta-feira, 18 de março de 2011

Fim de semana de sol!

Ena, ena! Divirtam-se que nós vamos fazer por isso!

Baba, muita baba.

O João tem os caninos inferiores a nascer. Ainda não romperam, mas eu já os adivinho por lá. Um feitiozinho menos simpático e litros de baba a escorrer daquela boca linda denunciam os desgraçados. E ainda não chegaram as duas ou três noites mal dormidas, mas devem estar para breve.

No entanto temos um problema que não estamos a conseguir resolver. O queixo do João tem milhentas borbulhinhas, está áspero como a língua de um gato e não vai lá com os hidratantes e cremes barreira que tenho lá por casa. Já se arrasta há uns 15 dias: umas vezes melhora, outras piora radicalmente. Ontem estava especialemente mau. Para além do hidratante da Eucerin, já utilizei estes que tenho por norma em casa:



A noite passada coloquei-lhe o primeiro depois do banho para hidratar bastante e o último antes de o deitar. Acordou melhor até porque o da A-Derma faz barreira e não deixa a baba chegar à pele, mas já sei que logo já vai estar pior outra vez. Mesmo que na creche lhe ponham o creme como pedi... Alguma sugestão infalível?

quinta-feira, 17 de março de 2011

E quando chegamos a casa foi a risota

O João ontem estava particularmente bem disposto. Dava grandes suspiro que nos faziam dar gargalhadas pela originalidade da cena. Depois apercebeu-se disso e suspirava a torto e a direito. Nós começamos a imitá-lo, ele a nós, e daí até estarmos todos de lingua de fora a fazer caretas e sons estranhos foi um pulinho. E ele estava à altura! Imitava tudo o que faziamos. Um principio de noite de risota tola, foi o que foi. E foi tão bom!

"A sopa do Mc Donalds é melhor do que a da minha mãe"

Pois é isto que tenho para vos dizer hoje. Nada mais que constatar a minha incapacidade de fazer uma sopa que lhe agrade tanto como a da referida cadeia de fast food.

Ontem jantamos no Mc Donalds com o João. Com direito a Happy Meal e tudo. Claro que o Happy Meal é composto por uma sopa, uns nuggets de frango uma água ou um Bongo (que ele não bebe) e um brinquedo. Mas conta como Happy Meal, não conta? Ah! E umas batatas roubadas do "prato" dos pais.

Uma coisa é certa: a sopa de feijão branco foi comida rapidamente e sem qualquer espécie de reclamação. Ora pela mão dele, ora pela minha. Já não é a primeira vez que lhe damos desta sopa e ele adora: a sopa à labrador, a de legumes ou a de feijão branco. Foram as que experimentou e curiosamente nenhuma é passada, todas são com pedaços contrariamente ao que faço em casa. Será isso? Vou experimentar.

[Trabalho com uma pessoa responsável pela fiscalização do HACCP do Mc Donalds (uma entidade externa ao Mc Donalds que avalia o HACCP também em diversos restaurantes e hotéis) que me garante que a nível de segurança, higiene alimentar e interesse nutricional não encontro em nenhum shopping nenhuma sopa tão boa como a do Mc Donalds. Assegura ela que a deles é a melhor... e esta hem?]

terça-feira, 15 de março de 2011

O João capotou

No sábado o tio fez anos e jantou lá em casa. A certa altura estava sentado/deitado no sofá a falar ao telemóvel. O João viu e trepou por ele acima para tentar chegar ao telemóvel. Claro que tombou logo para o lado (felizmente para cima do sofá). E o tio, com a maior das naturalidades e calmas, diz: "Oh Paulo, espera aí um bocadinho que o meu sobrinho capotou!" Capotou????

O João e o creme hidratante

No sábado fui dar com o João a espalhar creme na cara da Bisavó e da Tia Diana. Lá estava ele, dedo em riste, a exigir que elas lhe chegassem a cara para ele por creme. E elas, bem mandadas que são, lá acediam ao seu desejo. Ficaram todas besuntadas, claro. Só visto!

(Ele adora cremes mas detesta que eu lhe espalhe o creme na cara. Para o convencer incentivava-o a por também a mim... e foi nisto que deu!)

segunda-feira, 14 de março de 2011

Parque da Lavandeira

Em Vila Nova de Gaia, na N222, descobrimos o Parque da Lavandeira. É um parque espaçoso com muitas árvores, muita relva, muitas mesas de pic-nic, parque infantil, patos e cisnes, labirinto, um cafézinho, etc. Vale a pena dar uma volta por lá.
Estamos empenhados em descobrir os parques do Grande Porto e aproveitar tudo de bom que têm para dar. Para a semana: Quinta da Gruta e/ou Parque do Avioso. Vamos ver se S. Pedro dá uma ajuda!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Lembrei-me agora...

Num dos dias do fim de semana prolongado estavamos a vestir o João depois do banho. Ele como sempre não quer e começa a distribuir palmadas. Eu inclinei-me sobre ele no fraldário, bem perto da cara dele, agarrei-lhe as mãos e disse-lhe "Não, João. Não podes bater. Isso é feio. A mãe não gosta. Etc, etc, etc". O raio do rapaz, a meio do discurso, começa a esboçar um sorriso, depois a sorrir e depois a gargalhar. "Estou feita! Onde está o beicinho? Isto já não resulta." pensei.

Até que o pai me informou que ele estava ainda sem fralda a fazer xixi para cima de mim... não resisti e começamos os três às gargalhadas. O pequeno diabinho conseguiu pela primeira vez dobrar-me, mesmo que involuntariamente! E assim lá se foi a educação!

É oficial: chegou à fase do bater.

Quando tem sono começa a fazer asneirolas. Levanta a mão por tudo e por nada, bate ao pai e à mãe e ao avô e a quem estiver à frente dele. Não pode ser, claro está. Já sei que é a forma de ele se expressar já que não o faz verbalmente. Já sei que é uma fase e que passa. Mas ainda assim não pode ser.

Ralho-lhe num tom de voz forte e ligeiramente mais alto que o normal (sem gritar). Agarro-lhe os braços com alguma força (sem magoar, óbvio). Digo que assim é mau e que a mãe fica zangada. Ele faz o beicinho mais lindo que alguma vez já vi, o lábio de baixo começa a tremelicar como quem vai chorar mas aguenta estoicamente. Às vezes é suficiente e lá nos faz uma festinha ou um "trrimmm" no nariz como quem diz "Esquece lá isso e vamos brincar".

Outras vezes a birra prossegue e aí vai para o berço, sózinho, de castigo. Chora, fica sentido, e passado um bocado lá se acalma. Aí nós, que estamos à porta à escuta, vamos ter com ele e dizemos que ele não pode ser mau e não pode magoar o papá e a mamã. Faz-nos uma festinha e lá se resolve o caso. Será que este método é eficiente? Alguma sugestão?

quarta-feira, 9 de março de 2011

Pêta

Para além do já tradicional mamã e papá que são ditos 1000 vezes por dia alto e bom som, pêta é a terceira palavra mais ouvida lá por casa. De um momento para o outro aprendeu e quando quer a chupeta pede-a pelo nome. Diz lá se não é muito mais prático João? Assim a mãe e o pai dão-te o que queres logo ao primeiro pedido sem ter que estar a tentar adivinhar. Que tal experimentar com muitas mais palavras, já que as que dizes ainda se contam pelos dedos das mãos?

E fica tão giro a dizer "Pêta, Pêta, Pêta!". Baba, muita baba!

É um favor que vos peço!

Alguém explica ao João que ao fim de semana não precisa de acordar às 7h15? Ainda mais se for prolongado? E que mesmo durante a semana pode acordar apenas às 7h50? Difícil!!!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Tigre aventureiro

Na sexta feira, num fim de tarde em que encontramos uma Sininho linda e um par de Mickey e Minnie encantadores, o nosso tigre soltou as suas garras.

Encontrou este brinquedo onde nunca tinha conseguido subir sem ajuda. Desta vez não só subiu as escadas, percorreu a ponte e toca a escorregar pelo escorrega fora. E claro que gostou tanto que repetiu.

sábado, 5 de março de 2011

Algumas das coisas que o fazem vibrar









(Todas as imagens tiradas de vários sites)

sexta-feira, 4 de março de 2011

Cuidado com o Tigre... quando está a ver o Pocoyo não gosta de ser incomodado!



O rapaz ficou espantadissimo com os pés de tigre que lhe fiz. Acho que foi o que mais gostou, o resto foi-lhe indiferente. Ainda bem, porque deram-me uma trabalheira... e infelizmente eu não sou muito jeitosa com o corte e a costura. Ah! E também achou alguma piada ver-se ao espelho com o nariz preto.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Mais duas conquistas

Na semana passada começou a abrir portas em casa. Já as fechava à muito tempo empurrando-as, mas só agora chega à maçaneta para as abrir. Ups... lá se foi a nossa segurança do "Fecha a porta para ele não ir para aí".

No fim de semana descobriu como enroscar e desenroscar uma tampa. E adorou.

Onde está?

O João sabe onde está e aponta o pé, a perna, a barriga, a mão, o nariz, os olhos, a boca, a lingua, o cabelo. Só se baralha um pouco com as orelhas, mas chega lá. Quem é que o ensinou?? A primeira vez que lhe perguntei assim tudo seguido respondeu-me direitinho. Podem achar que isto já é banal nesta idade, mas fiquei surpreendida com coisas que ele sabe e eu nem adivinho... :-)

quarta-feira, 2 de março de 2011

Da linguagem

Aprendeu a dizer Avô. Do nada, saiu-lhe um "Abô" quase perfeito não fosse a troca do V pelo B. Insisti meses para que o dissesse e nada. Quando desiti ele resolveu dizer. Danado, este rapaz.

Onde está o João?

E ele aponta com o seu dedito para o nariz. Tão querido!

terça-feira, 1 de março de 2011

Do Saúde 24

Liguei para a Saúde 24 na madrugada de Domingo. Liguei porque a febre não baixava mesmo com Ben-u-ron e Brufen de quatro em quatro horas, porque ele tinha aquela respiração ofegante característica da febre, mas acima de tudo porque estava tão mole que nem acordava quando lhe mexiamos (nada característico dele) e gemia ao respirar. Depois percebi que os gemidos são normais quando se tem  febre, mas eu nunca tinha ouvido.

Atendeu-me uma enfermeira simpática que ouviu tudo o que lhe expliquei, fez algumas perguntas e concluiu que o deveria levar ao hospital apenas porque poderia estar desidratado (praticamente não bebeu soro de rehidratação e a água que bebeu vomitou) e porque não era normal ele ter febre dois dias depois de ter acabado um antibiótico (o da otite).

Em relação ao primeiro aspecto claramente ele não estava desidratado. Eu conheço-o bem e  por isso não me preocupei. Quanto ao segundo, inconscientemente fiquei um pouco apreensiva. Mas já no hospital, enquanto esperávamos pelo pediatra, fez-se luz. Oh senhora enfermeira: então a senhora não sabe que os antibióticos servem apenas para curar infecções provocadas por bactérias? Que não fazem nada quanto aos vírus? E que provavelmente o que ele tinha era uma virose, conforme a senhora disse e muito bem? Assustou-me sem necessidade!! Obviamente isto foi confirmado tal e qual pelo pediatra de serviço (um amor!) que me confirmou que até a meio do antibiótico para eliminar uma bactéria poderia surgir febre provocada por um vírus.

A fotografia possível

Querem que vos conte o fim de semana? Querem mesmo? Eu não quereria...

Ora bem... envolveu um bebé com medo da neve, vómitos, febres altas que não baixavam dos 38,5º, um hotel com um quarto a 30º que não ajudava a baixar febres, telefonema para Saúde 24, hospital às 6h da manhã, choros e rabujices mais que justificados, etc. Muito bom, portanto. Como devem imaginar. Mas nós vamos voltar! Os vírus que não pensem que nos dominam ou atemorizam!!!

(Ontem a febre já estava controlada e ele bem disposto como costume. Hoje já nem febre tem. Ficou com o avô só por precaução.)