sexta-feira, 29 de abril de 2011

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Da Páscoa

Eu não comi pão de ló (blheccc!), nem ovos ou amêndoas de chocolate, mas ainda assim achei a Páscoa gira. Quanto mais não seja porque estive com a mamã Gui e o papá Nuna o tempo todo. Já vos contei que já sei o nome dos meus papás? O papá está sempre a dizer que é Nuno, mas eu acho Nuna muito mais à frente. Não acham?
João 21 meses

terça-feira, 26 de abril de 2011

Nãn

É a palavra nova com mais significado (aprendeu muitas como eu previa!).
João, queres dormir? Nãn. João, queres sopa? Nãn. Agora é que estamos tramados!

domingo, 24 de abril de 2011

sábado, 23 de abril de 2011

Linguagem (para registo nosso)

Papá
Mama
Já tá
Olá
Popó (carro)
Peta (chupeta)
Caja (canja)
AbuaAbua (água, sempre em duplicado)
Bobô (Avô)
Abô (Avô)
Abóa (a bola)
Bisa (Bisavó)
Bobo (balão)
Aboó (acabou)
Cocó
Tá suxa (está suja)
Ota (outra)
É Minha
Papeu (papel)
Pea (pega)
Cocao (Colacao)
Vea (Vera, a educadora)
Ita/Ito (Marianita ou Josézito, das músicas)
Popa (pomba)
Abelha
a-anha (aranha)
Cucu
Póta (porta)
Ruca
Asshim (espirro)
Cocó (galos e galinhas)
Xixi
Futa (fruta)
Coca (tampa, vá-se lá saber porquê)
Bebé
Lula (cão do Pocoyo)
ú-a (lua)
Rua (rua, mas sem carregar no r)
Mnina (menina)
Tata (batata, normalmente frita)
Minhau (gato)
Igre (Tigre, não sei bem escrever como ele diz!)
Assul (azul)
Leté (leite)
Tio
Tia

Estas são as palavras que diz por iniciativa própria (deve haver mais, mas não me lembro). Algumas nem palavras correctas são, mas são formas de se expressar e muito bem. Diz mais algumas, mas por imitação daquilo que nós dizemos. A educadora diz que ele diz bastante bem o nome dos colegas e outras coisas, mas eu ainda não tive o prazer de ouvir.
Ao ritmo que o léxico aumenta, aposto que vimos do fim de semana prolongado com o dobro de palavras! E não me canso de dizer: foi de um dia para o outro!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

O que fazer quando...

...lhe estamos a ralhar e ele põe um sorriso terno, abraça-nos o pescoço com muita força e dá-nos um beijinho?

Ai, ai, ai, que este menino já tem a escola toda!!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Do pote e da creche

Quando foi deixar o João à creche, o pai descobriu que a seguir ao almoço os meninos mais velhos da sala dele sentam-se no pote. E o João, por iniciativa dele, senta-se ao pé deles na mesma posição. Será que teve alguma influência? Provavelmente.

Aventureiro no berço

Noutro dia pus o João de castigo no berço dele durante 2 ou 3 minutos. Saí do quarto mas mantive-me por perto. Quando espreito ele tem já um pé por cima das grades. Ainda não conseguia sair, mas tentou. Ora isso leva-nos a uma questão: a grade tem que sair, certo? Caso contrário corre o risco de dar um grande tombo ao tentar sair da cama.

O berço dele é uma cama evolutiva e como tal basta-nos tirar a grade e deixá-lo dormir onde sempre dormiu até acharmos que devemos passar para a cama grande. Enquanto berço tem 140 cm por 70 cm: é ainda bastante grande para ele e não tencionamos montar já a cama grande. Mas surgem-nos dois outros problemas.

Já experimentamos e ele consegue sair muito bem da cama (ele sempre desceu de sofás e camas com muita precaução, nunca caiu ou esteve em vias de cair)... mas não consegue subir para a mesma. É ainda um bocadinho alta para isso. Talvez mais 3 ou 4 centimetros e já consiga. Mas o que fazer entretanto? Pode ser problemático que ele não suba sózinho para a cama ou estou a fazer uma tempestade num copo de água?

A outra questão tem a ver com o facto de o João se mexer muito enquanto dorme. Às vezes encontramo-lo com a cabeça virada para os pés. Normalmente dorme com as costas encostadas à cabeceira do berço ou às grades (só tem grade numa face do berço). O que vai acontecer se lhe tirarmos a grade? Já compramos um tapete fofo por causa das eventuais quedas, mas às vezes o problema não está onde cai mas como cai... Mesmo com uma protecção que tenciono comprar, tenho receio que ele caia e se magoe ou assuste.

Dúvidas e mais dúvidas...

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Primeiro cocó no pote ou Só uma mãe para falar disto online

Antes de dormir o João estava a sentar-se no pote que está no quarto dele. O pai perguntou-lhe se queria fazer xixi e tirou-lhe as calças do pijama e a fralda. Sentou-o no pote em frente a uns brinquedos. Eu, descrente, disse-lhe que ia dormir para a sala (sim, o sono é muito!) e que me avisasse quando acabassem a sessão de pote. Nem passado 3 minutos ouço o pai a fazer uma grande festa porque o João tinha feito cocó no pote. Fui ver... e não é que tinha mesmo?
Se isto significa que está pronto para o desfralde? Não creio, acho que foi uma bela coincidência. Mas que fizemos uma grande festa, lá isso fizemos. Pode ser que assim ele ache piada e repita a proeza.

ZZZZZZZZ ou Esta noite houve festa!

Ontem não se queria deitar. Ora deitava a chupeta ao chão e lamentava-se "Pêta!" como se tivesse caído sem querer; ora pedia ao pai para brincar um bocadinho; ora gritava "Mamã!" do quarto dele onde o pai o estava a deitar como se não me visse há 10 dias; ora chorava desalmadamente se o deitavamos no berço. Nunca visto! É inédito na nossa carreira de pais. Acabou por adormecer na nossa cama por volta da meia noite e foi transferido pelo pai para a cama dele.
Ainda não eram 6h da manhã ouvi-o choramingar baixinho e meio a dormir. "Vai ficar" pensei. Mas não. O trafulhinha andou à procura da "Pêta" e como não a encontrou começou a resmungar. O pai trouxe-o de volta para a nossa cama (sono, muito sono!) e o rapaz desatou a  chorar enquanto gemia qualquer coisa. Ora: o meu cérebro a meio gás do sono misturado com a chupeta dele na boca não me deixava perceber o que ele dizia enquanto apontava para a porta do quarto. E chorava, e chorava, e cada vez eu percebia menos. Até que se fez luz: "Leté". O que ele queria era leite! Ah!!! Eu lá tenho culpa de ele nunca ter dito esta palavra e ter escolhido logo uma madrugada de pouco sono?
Agora ele deve estar a dormir em casa do Avô enquanto tomo café (que odeio) para conseguir trabalhar. Há justiça nisto? Há?

terça-feira, 19 de abril de 2011

É o pai!

Depois de uma sessão de cócegas do pai da qual ele já estava a ficar farto veio a correr ter comigo meio choroso. Quando lhe perguntei o que se tinha passado ele responde-me com todas as letras: "É o papá!". Queixinhas!

(E são frases pequenas, mas já são frases!)

As novas palavras 2

Tá suxa - está suja
Ota - outra

A rapidez de raciocinio e a velocidade a que aprende novas palavras e as usa apropriadamente espanta-me! Todos os dias das últimas três semanas há palavras novas. Na consulta o pediatra adivinhou que ele deveria dizer umas 20 palavras nesta altura. Eu arriscaria dizer que de lá para cá quase dobrou esse número. E eu que me esqueço de as registar...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

As novas palavras

Pega - quando nos quer dar alguma coisa
É minha - alguma coisa que é dele (nunca diz "é meu")

(E continuo satisfeita com a generosidade dele em emprestar os brinquedos aos outros meninos que vão lá a casa. É iniciativa dele. Pega nos brinquedos e vai ter com os meninos e diz "Pega". Normalmente os que ele mais gosta. Deixa-me inchada de orgulho. Não sei até quando, é certo... mas para já gosto de ver)

Eléctrico

Já que o João gosta tanto de eléctricos, autocarros e afins resolvemos dar uma volta com ele no sábado. Já que no autocarro descapotável nos queriam levar o dinheiro todo, decidimo-nos pelo eléctrico. Asneira. Das grandes. O João ficou cheio de medo e não aproveitou nada.
Na viagem para a Foz foi sentado no meu colo agarrado ao meu pescoço com toda a força que tinha. Entretanto fomos passear e ver as pombas. Pensamos que ele já se tinha esquecido... pois sim. Na viagem de regresso (vir a pé estava fora de questão já que nem o carrinho dele tinhamos e eram uns valentes quilómetros!) já começou a choramingar antes de entrar. Dentro do eléctrico foi um sucesso entre os restantes passageiros. Cada vez que o eléctrico parava ele gritava "Já está" com um alívio sentido e alegria incontida. Até que eu dizia "Ainda não, só mais um bocadinho" e ele voltava a choramingar e a refugiar a cabeça no meu pescoço. Isto aconteceu umas 5 ou  6 vezes e os outros viajantes riam-se com o ar de satisfeito e o grito de guerra de cada vez que o eléctrico parava. Só visto.
No dia seguinte, ao contar ao Avô, perguntavamos-lhe se ele queria andar de eléctrico. Ele franzia o sobrolho e punha o seu melhor ar de assustado.
Assim, para evitar traumas, eléctrico outra vez só lá para os 4 anos ou 5 anos!

domingo, 17 de abril de 2011

O pediatra

O pediatra do João é um senhor muito simpático e com grande empatia com as crianças. E empatia verdadeira, não forçada. Talvez por isso ontem mostrou-nos a fotografia que o paciente anterior lhe tinha levado: era o Guilherme (o nome do menino) vestido de Dr. P. no carnaval. E não faltava nada! O gel no cabelo, o bigode quase retorcido, a gravata do género das que ele usa, a bata com o nome bordado, os óculos, o estetoscópio com o bonequinho. Tudo, tudo! E estava giro o míudo! E o pediatra orgulhoso, claro está.

sábado, 16 de abril de 2011

Recado da creche

"O João anda sempre aos beijinhos às meninas e hoje uma zangou-se com tantos beijos e deu-lhe uma mordidela na bochechinha. Desculpe!"
 :-)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Eu comprei-lhe estas...

Mas não lhe servem agora, muito menos no verão. Arrisquei e mandei-as vir da Next. São lindas de morrer, ainda mais giras do que a foto deixa ver. Mas o peito do pé fica muito apertado: em cinco minutos que as testei fez logo marca. Acho que nem vou madar vir o tamanho acima porque me parece que não vai ficar muito melhor. Por isso vou ver as Crocs... obrigada a todas pelos conselhos!

Crocs

Sim ou não?

Eu não acho um sapato/sandália muito bonito e penso que não seria capaz de os usar (desculpem-me os fãs de crocs!). Pelo menos aqueles tradicionais, porque já vi online algumas coisas desta marca que até são engraçadas.

Mas ontem surgiu-me um dilema: o João vai para a praia com o infantário e tenho que lhe calçar umas sandálias práticas e confortáveis, mas acima de tudo que não lhe magoem os pézitos habituados a andar de meias. As crocs parecem-me uma boa solução... e em míudos até acho menos mau. Mas já li em diversos sítios que aquilo faz transpirar muito e acaba por fazer bolhas nos pés dos míudos. Alguém têm? Alguém me conta tudo sobre as suas crocs? Vale a pena o investimento?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

E no pediatra

Mal saiu do elevador e percebeu onde estava já não queria entrar. Lá entramos na sala de espera e eu passei a ter um filho cola. Não podia dar um passo para o lado que ele choramingava e agarrava-se às minhas pernas. Quando viu o pediatra começou o pranto. Choramingava, agarrava-se a mim, um suplicio. Lá conseguimos fazer tudo o que tinhamos a fazer. Para o pediatra a birra de medo do João era canja. "Conheço bem piores", diz ele. É normal nesta idade e depois passa.
Pesado, medido, observado e vestido... e já não era nada com ele! Metia-se com o Dr. P. no jogo do olha, ri e foge, viu se ele tinha febre (com a mãozita na testa do Dr. P.), foi buscar um banco pequenino para se sentar ao pé dele e até lhe deu um passou-bem quando viemos embora. Fizeram as pazes, portanto. Pode ser que para a próxima já não haja choradeira (embora não conte).
E enquanto a mãe pagava o João "namorava" a secretária que desde que ele nasceu é bem simpática com ele e connosco. Um mimo de se ver!

Resultado:
- Alto,
- Sobre o magro (a quem ele sai???),
- Ouvido esquerdo perfeito (o da otite),
- Pulmões limpinhos (foram-se os ranhos e as tosses! Viva a Primavera!),
- Lindo (esta sou eu que digo, mas o Dr. P. concorda certamente),
- Óptimo.

O fim de tarde

 Já vos disse que quero ser bombeiro? E que adoro extintores, mangueiras de incêndio, etc?

 Olha um cão ali ao fundo! Deixa-me correr a ver se o consigo apanhar!

 É num avião destes que vamos passear em Junho, mamã? Mas é tão grande... e bonito!

 Deixa-me apanhar uma flor para a mamã para ver se ela me deixa sentar ao colo dela no avião.

 Não me apanhas! Não me apanhas! Não me apanhas!

Olha! Apanhaste-me papá! Eu já ia tão lançado nas escadas... não é justo!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Da escola

Ao deixar o João na creche estive a contar à Educadora que ele ontem caiu com a cara na soleira da porta da varanda (por acaso não foi a andar com o andador) e fez uma nódoa negra que só não é maior devido ao miraculoso Arnidol. Enquanto contava tudo à V. ele olhava para todos os lados a disfarçar como se não fosse nada com ele. Quando no final lhe perguntei: "Não foi João?" ele mostrou orgulhosamente a sua marca de guerra e fez o sorriso mais malandro que conheço. É um pestinha.

[E à noite assustamo-nos porque ele tinha uma orelha inchadíssima e muito quente! Mesmo muito. Tinha uma pintinha também e pensamos que poderia ter sido picado por um bicho tipo abelha. Mas depois cheguei à conclusão que devia ter sido só um mosquito. Li no Mário Cordeiro que como ele faz grandes reacções às picadas de mosquitos, há zonas em que essas reacções são ainda maiores ficando muito inchadas e infalmadas: olhos e orelhas. Sempre a aprender. Fenistil na orelha e hoje já não estava tão inchado nem quente.]

terça-feira, 12 de abril de 2011

A informática é traiçoeira

Desde o dia em que o João nasceu que o Avô coloca todos os dias uma fotografia num site que criou para o efeito. Podem vê-lo aqui. Faça chuva ou faça sol, esteja de férias a milhares de quilómetros ou não, esteja com 40º de febre ou com uma dor lancinante nas costas, etc. Há sempre uns minutos para ligar o pc, escolher a foto do dia e fazer upload.

Este fim de semana esse ciclo foi quebrado. Pela primeira vez. O fotolog este indisponível sábado e domingo. Sei que lhe custou interromper o ritual de há quase 21 meses. E confesso que a mim também. Apre!

(E já agora: alguem me sugere uma forma de passar este álbum virtual a real com os comentários e tudo? Gostava tanto!)

Carro de corridas

Quase um ano depois de receber de presente um andador da Chicco, o João reinventa sua utilidade e utiliza-o como carro de corrida.

Empurra o andador a alta velocidade desde o início do corredor e só trava a fundo no final da cozinha, junto à porta para a lavandaria. Qualquer dia despista-se e à velocidade que vai a coisa não vai ser bonita. Já o avisei imensas vezes, mas está visto que qualquer dia vou ter que confiscar o andador.

Entretanto, quando ele começa com as velocidades eu paro-o e digo-lhe que tem que andar mais devagar. O pestinha, enquanto estiver ao alcance dos meus olhos, anda devagar e a olhar para mim como quem diz "Vês como eu faço o que tu pedes?". Mas mal sai da minha vista acelera até não poder mais. E se eu procuro o seu olhar novamente, desacelera como pode e volta a andar devagar com o ar mais comprometido do mundo. É ou não uma peste sabida?

[E é curioso como há coisas que atravessam gerações. Lembro-me perfeitamente do meu irmão fazer o mesmo, talvez um pouco mais velho que o João. E em vez de um andador todo moderno fazia-o com um banco de madeira pequenino com um volante de plástico laranja pousado em cima.]

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Eu a-d-o-r-o água!

De beber, do banho, do mar, dos rios, das fontes, das poças, da chuva, etc. Nota-se muito?



domingo, 10 de abril de 2011

Quer-me parecer...

... que o ouvido esquerdo do João ainda não está a 100% da otite. Eu diria que nunca mais ficou bem depois da primeira otite. Regra geral não se queixa, mas às vezes esfrega bastante a orelha e choraminga. Muito raramente, mas mesmo assim não me agrada. Já antecipei a consulta dos 21 meses para 4ª feira.

sábado, 9 de abril de 2011

Animais

Quais são os animais que o João sabe dizer?
O aoao, o menhau  (ou ato), o cócó, a popa, o i-e, a a-anha, a abelha.
Tradução:
O cão, o gato, o galo, a pomba, o tigre, a aranha e a abelha.

Curioso que o que diz melhor é mesmo a abelha. Perfeitinho. Aprendido ontem.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Bom fim de semana...

Para "desespero" do pai e da mãe da M....

... ontem o João trocava beijinhos na boca com a M. À descarada e com um ar de maroto que só visto. A M. é apenas um mês mais velha mas nunca ligou muito ao João (para desgosto do meu filho). Ontem finalmente viu que tinha ali um amigo para as brincadeiras.
E foi um fartote de riso: o João inclinava-se para ela, ela tirava a chupeta e toca a dar beijinhos. O pai dela quase teve um colapso nervoso, a mãe idem aspas... mas eu alertei logo que a culpa não era do meu filho!! Se ela tirava a chupeta é porque estava interessada! :-D

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Incongruências da vida

O João não sabe dizer o nome do seu adorado Pocoyo nem  se esforça para tal..

O mesmo João ontem gritava a plenos pulmões o nome da Kitty no supermercado.

(aprendeu ontem numa festa de aniversário de uma menina na escola)

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Espertinho!

Atrás da cadeira onde o João janta está o aquário com os seus amados peixinhos. Invariavelmente, a meio do jantar, ele pede para ir ver os peixes e dar-lhes de comer. Inicialmente nós deixavamo-lo sair da mesa para o distrair e podermos acabar de jantar. Mas desde segunda feira que eu lhe digo que só podemos sair da mesa e ver os peixes depois do pai e da mãe acabarem de jantar. Ontem, depois de eu acabar de jantar ele quis ver os peixes. Mas como o pai ainda jantava eu reforcei que só poderiamos ir depois de o pai também acabar. Não é que o espertinho tira a faca da mão do pai (ao garfo não chegava) e tenta pousá-la em jeito de "Se ainda não acabaste acabas agora!". :-)

Tenho cara de aranha?? E se eu deitar a lingua de fora?

terça-feira, 5 de abril de 2011

Os DVD musicais

O João tem a Escolinha de Música e as canções da Carochinha. Até agora sempre gostou de ouvir as músicas, de as dançar e até de ver os videoclips. Mas estes últimos não eram os preferidos. Agora são. Vê-os com muita atenção e interpreta o que está a ver.
É giro vê-lo lamentar-se com um "ohhh" quando o galo cantor desaparece e com um "Cocó" feliz quando volta a reaparecer. Ou um "ohhh" muito triste quando a aranha cai com a chuva e um "Já tá!" quando ela consegue voltar a subir à sua teia. E o ar comprometido e solidário quando vê o Josésito? E os "Atchim" solidários que dá com o menino que a ver os peixinhos caiu à água e se contipou? Fantástico.São pequenas coisás, é certo, mas é tão giro ver a sua evolução.

Ah! Sim! Por falar em evolução... para além de saber qual o botão que faz o dvd arrancar quando chega ao fim também sabe qual o botão que liga o leitor de dvd's e qual o botão que faz sair o dvd para por outro. Está bonito, está!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

E por falar em imitar

O João revelou-se na última semana um verdadeiro papagaio. Repete (ou tenta) tudo o que dizemos. Em poucos dias já diz muito mais palavras que até já lhe perdi a conta. Assim, de um momento para o outro.
Ontem, no dia de anos da Bisavó aprendeu a dizer Bisa (como lhe chamamos). E fez a felicidade dela, claro está. Está a crescer, é o que é.

O João e os animais

O João conhece os animais e sabe como eles falam. Uns melhor que outros, claro está. Alguns nem sequer sabe. Mas aquele que é mais giro de o ouvir dizer é o sapo. Eu ensinei-o que o sapo faz "rabbit". É lindo vê-lo enrolar a língua para me imitar. Lindo!!!

domingo, 3 de abril de 2011

Meus queridos vizinhos...

... vamos combinar: percebo bem a vossa (nossa) alegria em ver o FCPorto campeão mais uma vez. Mas eu tenho uma criança de 20 meses a dormir. Festejem. Festejem muito. Mas baixinho, pode ser? A gerência deste apartamento agradece.

(E guardem lá a vuvuzela pá! Não há coisa mais irritante a esta hora da noite!)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Operação Nariz Vermelho

"Este ano, ao preencher a sua declaração de IRS, reverta 0,5% do seu IRS a favor da Operação Nariz Vermelho. Não só não paga nada por isso como ganhará o sorriso de muitas crianças.
Ao preencher o anexo H da sua declaração de IRS, na opção “Instituições Particulares de Solidariedade ou Pessoas Colectivas de Utilidade Pública”, do quadro 9, coloque o número 506 133 729.
Desta forma e, sem qualquer encargo para si, 0,5% do seu IRS será doado pelo Estado à Operação Nariz Vermelho contribuindo para a alegria das crianças hospitalizadas.
Use o seu IRS por uma boa causa. É tão fácil que até parece uma brincadeira de crianças."
Aqui.
 
(E ele, agora, adora o nariz de palhaço que lhe compramos no Carnaval)

Não consigo resistir às t-shirts do Cão Azul

Esta é muito gira e vai chegar lá a casa nos próximos tempos vinda daqui: