sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Pois é, eu queria...

Mas as novidades não são lá muito concretas!

Ontem tive no meu local de trabalho a médica do trabalho. É uma pessoa encantadora e está sempre a torcer por mim e a perguntar pelo bebé. Quando lhe disse que o meu bebé se tinha escondido ela disse-me: "Não se preocupe que ainda hoje vai descobrir!". Ligou para as várias clinicas com que trabalha para tentar descobrir um médico da confiança dela que me pudesse fazer a eco ainda ontem. E conseguiu! Foi uma querida!

Lá fui eu a meio da tarde fazer a eco. Foi muito gira, muito mais gira do que as que faço no consultório da minha médica. O ecógrafo provavelmente será melhor. Finalmente consegui ver o coração a bater (e via-se tão bem!), a carinha, as mãos, os pés, a barriga, até o estomâgo e os rins... mas o sexo? Querias!!!

Para dizer a verdade, o médico deu o palpite de que seria menino (com 80% de hipóteses, segundo ele), mas eu não vi nada!! Ele diz que havia qualquer coisita no meio das pernas mas que podia ser uma pilinha ou podia ser o dedo do pé (ou o pé?). Estava mais uma vez de pernas cruzadas e na posição em que estava não era muito fácil. Como devia estar a dormir não mudava de posição. Eu cheguei a perguntar se não teria as perninhas tortas, já que está sempre assim: o médico riu-se e chamou-me tonta!. O médico bem se esforçou, esteve quase 10 minutos para tentar ver o sexo do bebé. A cunha tinha sido mesmo muito boa :-)

Por isso eu já decidi: vou começar a tratar o meu bebé pelos nomes que gosto para rapaz para ver qual me soa melhor com a utilização no dia a dia. Se no dia 12 me disserem o contrário, só espero que a criança não nasça baralhada!!!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Pode ser que logo traga novidades,

Mas ainda estão no segredo dos Deuses...

(e está tudo bem comigo e com o bebé, há é muita falta de tempo para escrever!)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

E qurem saber o melhor...

É que às 12 semanas a médica conseguiu ver perfeitamente tudo mas disse que era muito cedo para arriscar um palpite. Às 12 semanas é muito fácil confundir um menino com uma menina. No entanto, se fosse obrigada a dar um palpite ela diria que era um menino.



Na 5ª feira, apesar de não conseguir ver grande coisa, ela dizia que se fosse obrigada a dar um palpite diria que era uma menina. Visto de lado não se notava nada de saliente na zona do rabito, e por isso é que ela apostava em menina cheia de reticências. Porque como ela própria disse, "o material podia estar escondidinho no meio das pernas".

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Queriam saber?

Pois também eu queria!!! Sua excelência conhecida por bebé resolveu cruzar as perninhas e por mais abanões que levasse não as descruzou. E por isso, vai continuar a ser bebé mais uns tempos.

É óbvio que às custa disso levou o seu primeiro raspanete dos papás: "Quando quiseres gomas ou tangerinas ou gelado, não há! Não deixas os papás ver, agora é assim: castigo". Sim, porque os desejos são dele/a, não meus!

Tirando este percalço (que penso será resolvido dia 12 de Março com a morfológica), está tudo muito bem. Comigo e com o bebé. E isso é que interessa verdadeiramente. Peso controlado, análises e tensão também. Batimentos cardíacos, medidas e placenta ok. Tudo como se quer, portanto.

Agora digam-se só uma coisa minhas senhoras, como é que eu vou fazer compras??? Como é que eu vou poder comprar montes de coisas rosa ou azuis? "Branquinho" dizia a minha Avó, "compras branquinho e amarelinho". Mas eu não quero! Acham que posso fazer uma birra? Tenho direito, não tenho? Não há mais gomas para o bebé!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

É hoje!

E eu nunca gostei tanto de ir ao médico :-)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

E Avô ou Avó...

Por seu lado, o meu pai, na sua sempre forma discreta de mostrar o contentamento e preocupação compra-me coisas que fazem bem à saúde.

A última são umas romãs maravilhosas que encontrou no supermercado ao pé de casa. São grandes, bem vermelhas e sumarentas, relativamente fáceis de descascar (ao contrário do habitual) e comem-se muito bem. Enquanto estava grávida, a minha mãe teve uma anemia grave e várias ameaças de aborto (tanto de mim como do meu irmão) e uma das coisas que mais comia era romãs... como o meu pai se lembrou e foi comprar para mim! Não sei muito bem porque a minha mãe as comia, mas descobri o seguinte:

"O herbário chinês revela que a romã aumenta a longevidade. E porquê? O sumo deste fruto tem um poderoso antioxidante, um tipo de flavonóides bastante eficaz na prevenção dos problemas cardíacos, que evita os depósitos de colesterol nas artérias. A sua acção anti-inflamatória trava a multiplicação das células cancerígenas, em especial do cancro da próstata. Rica em água, vitamina A e C, o aporte em magnésio ajuda-a a combater a fadiga."

in revista Activa

Tio ou tia

A propósito do comentário da Mama Pirata no último post lembrei-me que todos os dias tenho pelo menos um momento de diversão. Normalmente é quando o meu irmão me liga a perguntar se já fiz mais exames... ando há um mês a dizer que só no dia 19, mas a impaciência dele em saber mais coisas leva-o a perguntar o mesmo todos os dias. Só me rio com a sua pressa. :-)
E uma das coisas que ele mais quer saber e que mais pergunta é precisamente se vai ser Tio ou Tia :-D (isto é, se vai ser um menino ou uma menina). É um tonto, este meu irmão!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

16 semanas

Depois de um belo fim de semana de sol e de conversas e passeios com amigos, inicia-se uma semana muito esperada: na 5ª feira tenho consulta na GO e vou poder saber se está tudo bem e até quem sabe acabar com o mistério do sexo do nosso bebé.

Não noto nada de especial nem de diferente em mim, só uma vontade enorme que esteja tudo bem na próxima consulta.

A barriguita não está grande: costumo dizer que parece uma barriga de gorda, não de grávida.

Sentir o meu bebé... é um mistério. De vez em quando, mas muito de vez em quando, sinto umas cócegas na barriga que podem ser ele... mas também podem não ser. Ontem ri-me com o N. porque ele dizia que eram gases, e se calhar até tem razão. Por isso, fico na dúvida.

Em relação à alimentação, acho que já consigo comer normalmente outra vez, o que é mau!!! Durante algum tempo eu só conseguia comer pequenas quantidades às refeições (pequenas mesmo), mas já passei essa fase. De certeza que o peso que não ganhei até agora (só aumentei 500 gr) vem todo junto a partir desta altura. O que vale é que continuo a preferir a fruta e os iogurtes às bolachas. Ontem eram 11h30 da noite e deliciava-me eu com uma manga bem madurinha. Noutra altura teria atacado um qualquer pacote de bolachas.

O único inconveniente são as duas ou três borbulhas horrorosas que me nasceram na cara... eu nunca tive borbulhas!!!

Resumindo, comigo está tudo bem. Vamos ver com ele/a na próxima 5ª feira! Querem dar o vosso palpite sobre se é um ele ou uma ela? :-)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

E não é que o Sebastião...

... afinal é uma Delfina???

O bebé de uns amigos a quem nós chamavamos carinhosamente de Sebastião há uns meses, revelou na ecografia de hoje que afinal é uma menina? Estou muito feliz por eles porque tenho a certeza que a minha amiga preferia uma menina para se perder em laços e fitas cor de rosa. Mas eles ainda não acreditam bem... "Será que desta vez o médico também se enganou?"

Também carinhosamente já a baptizei de Delfina. Sou mesmo boa a escolher nomes, não sou?

(só a baptizei porque eles não conseguem escolher um nome, são piores do que eu e o N)

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Criopreservação de células estaminais: sim ou não?

Está aberta a discussão! Eu aviso já que não sei o que fazer... por isso, como sempre, estou aberta a todas as opiniões.
Fica a notícia retirada do "Ciência Hoje" como mote:

Criopreservação: sim ou não?

Questão levantada no Congresso Português de Medicina da Reprodução

Rui Reis, o Presidente da Sociedade Portuguesa de Células Estaminais (SPCE), considerou hoje que "faz todo o sentido" investir na criopreservação de células estaminais do sangue do cordão umbilical, tendo em conta os previsíveis avanços da ciência. A posição de Rui Reis surge em resposta ao responsável pela unidade de transplantação de medula óssea do Instituto Português de Oncologia, Manuel Abecassis, que considerou esta manhã não valer a pena gastar mais de mil euros na criopreservação.
"Coisas que hoje ainda não são possíveis na prática clínica, sê-lo-ão com certeza daqui a 10 ou 15 anos. Há que acreditar nos cientistas", contrapôs o presidente da SPCE, em declarações à agência Lusa. "Há quem faça um seguro automóvel contra todos os riscos mas há também quem arrisque andar na estrada sem seguro", ilustrou Rui Reis. "Quem puder, deve investir mesmo na criopreservação do sangue do cordão umbilical para uso próprio. Faz todo o sentido", frisou Rui Reis, considerando que "há um conjunto de abordagens que nunca será possível com células de outro paciente". Explicou que a prática está generalizada em muitos países e referiu que em Espanha, onde foi proibida, a família real optou pela criopreservação de células estaminais do sangue do cordão umbilical dos seus herdeiros nos Estados Unidos.


No final do 3º Congresso Português de Medicina da Reprodução, hoje no Porto, o especialista Manuel Abecassis questionou a utilidade da criopreservação de células estaminais do sangue do cordão umbilical. Reduzindo esta prática a uma "moda", disse que se tivesse agora um filho "pegava nos 1.200 euros e comprava certificados de aforro", e quando ele tivesse 18 anos entregar-lhe-ia os títulos. "Nestes milhares de sacos de sangue congelado em todo o mundo há três casos de sucesso, portanto, não se pode dizer que não serve para nada, mas o que se pode dizer é que a probabilidade de utilização é muito baixa e, provavelmente para todos os casos, há alternativas", justificou. Manuel Abecassis afirmou que os sites das empresas privadas que se dedicam à congelação do sangue do cordão umbilical "não contêm informação correcta, rigorosa e objectiva", sendo "muito fantasiosos". O responsável criticou o facto de as empresas portuguesas que desenvolvem esta actividade apresentarem esta técnica aos pais como "um seguro de vida para o filho", dando a entender que o sangue "pode servir para tudo e mais alguma coisa". Em contrapartida, o responsável defendeu a criação de um banco público de sangue do cordão umbilical, afirmando que "faz falta".

Noticia publicada em Maio de 2007

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Nunca mais chega dia 19

Para voltar a ir à consulta com a GO e fazer mais uma eco.
Quem me conhece sabe o quanto eu detesto ir ao médico, ao hospital, a tudo isso no geral. Mas agora é diferente. A espera, a falta de novidades (boas) deixa-me ansiosa. Se ao menos o/a sentisse, já seria diferente. Tinha algum feedback. Assim... resta-me aguardar!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Porque sou mesmo uma mulher bem resolvida...

Duas meninas muito simpáticas deixaram-me este presente: a Segundo Olhar e a Claudia Capela
As regras são:
1- Exibir a imagem do selo;
2- Postar o link do blog de quem recebi o selo;
3- Escolher 10 mulheres bem resolvidas e distribuir o selo;
4- Avisar as escolhida

Mas eu vou fazer batota, já que penso que todas ou quase todas as meninas que conheci por aqui já receberam esta homenagem. Por isso vou nomear todas as mamãs que tem bebés (ou crianças) com problemas de saúde e que lutam diariamente com um grande amor e perseverança por lhes dar o melhor. Acompanhei de longe (mas de perto ao mesmo tempo) alguns casos neste mundo virtual, e acho que são merecedoras deste magnífico prémio!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

O grande segredo...

Quando fui ao Centro de Saúde há umas semanas dei de caras no atendimento com uma amiga da minha mãe que lá trabalha. Foi ela que me atendeu e eu tive obrigatoriamente que lhe dizer que estava grávida para lhe pedir a isenção de taxas moderadoras. Pedi-lhe o maior segredo porque ainda ninguém sabia, porque ainda não tinha chegado às 12 semanas e podia não correr bem, blá, blá, blá. Ela prometeu e concordou que eu fazia muito bem em guardar segredo.

Ontem ela encontra o meu irmão e pergunta-lhe por novidades. Como ele não sabia se eu lhe queria contar pessoalmente (ou se lhe queria contar!), disse que não havia nenhumas. Não é que ela lhe perguntou se ele sabia guardar um segredo e lhe disse que ia ser tio?!?! Ele não se desfez, fez de conta que não sabia de nada (coitado, nem sabia como reagir).

Quando ele me contou apetecia-me dar uma descompostura à senhora. Já viram se eu não tinha mesmo contado ao meu irmão e ele vinha a saber por terceiros? Seria muito desagradável... Já não se pode confiar em ninguém! E o que é feito do sigilo profissional?

Acabei por me rir da situação porque eu tinha comentado com o N que não confiava muito que ela guardasse segredo, mas que a minha esperança é que ela não encontrasse ninguém da família até eu lhes contar (faltava mais ou menos 15 dias para isso). E por acaso não encontrou. Mas mal arranjou uma oportunidade...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Creme Gordo Barral

É o meu novo amigo. Depois de experimentar um creme da farmácia e de continuar com a pele seca e cheia de comichão, resolvi comprar o bom e velho creme gordo da Barral. E não é que resulta?
O único senão é que não se põe sózinho. E está tanto frio para por creme... E eu esqueço-me...