segunda-feira, 30 de março de 2009

E do fim de semana...

... o que fica é uma enorme dor de garganta que já chega aos ouvidos.

Sábado comecei a sentir uns arranhões mas nada de especial. Mantive a garganta hidratada com alguns rebuçados (sem açucar!) na esperança que não passasse daí.

Ontem, de manhã, tomei um Ben-u-ron e o dia começou com dores, mas aceitáveis. Mas com o passar do dia a coisa piorou. Ao fim da tarde tive que ir ao Centro de Saúde. A dor de garganta estendia-se aos ouvidos e estava a dar comigo em louca. Vi logo que com o tão afamado Ben-u-ron não ia a lado nenhum. Quando saí do Centro de Saúde já não conseguia falar sem que me doesse tudo nessa zona. Ainda tentei jantar uma sopa, mas nem isso passava. Só lá para o fim da noite consegui beber um leite morno e começar a falar sem que me doesse.

Hoje... estou mais ou menos como ontem. Tomo Ben-u-ron e Clamoxyl de 8 em 8 horas e rezo para que passe. Já não bastam ser medicamentos de criança, como no caso do Clamoxyl, segundo li, estou a tomar dose de criança. Mãe sofre!!! Valha-nos o atendimento nas urgências do Centro de Saúde que foi 5 estrelas.

Boa semana!

sexta-feira, 27 de março de 2009

E já devia estar em casa

Mas ainda estou por aqui. Perder uma manhã a fazer análises têm estas consequências.

Confesso que a curva de glicémia não custou tanto como pensei. Levei um livro, sentei-me ao sol e a apanhar ar e o tempo foi passando mais ou menos bem. Custou mais a primeira hora que as duas restantes. Aguardamos agora até terça feira, dia em que é declarada a minha sentença...

Entretanto vou gozar mais um fim de semana com pouco descanso mas compensado pela animação e compras. Vamos ver se amanhã escolhemos a mobília do pequeno. Vamos ver se é desta, porque ver... já vimos imensas. Mas nem sempre nos agradam: ou são muito caras, ou são muito infantis, ou são muito isto, ou são muito aquilo. Enfim! Queremos uma cama transformável: alguém tem uma sugestão de alguma loja BBB (bonita, boa e barata)???

Bom fim de semana!!!

terça-feira, 24 de março de 2009

E outras novidades

A foto da barriga, para as meninas que pediram, sairá quando o pai lá de casa se disponibilizar a tirar. Ou se calhar é melhor ser eu mesma a tratar do assunto... que dizes pai?

Em relação às análises que levantei ontem, a médica disse que estava com o valor da glicose muito alterado e que precisava de fazer a curva da glicémia. Vou lá buscar a requisição hoje para fazer o exame na 5ª feira de manhã. Vai ser bonito... 4 picas, nada de pequeno almoço e uma bebida bem docinha para enjoar! Uma bela maneira de começar o dia!

Entretanto o nosso Diogo (ou será só João? Ou João Diogo? Ainda não há decisão!) anda aos pontapés na minha barriga, como se de uma festa se tratasse. Deve querer dizer: "Acorda mãe, são horas de trabalhar! Não durmas em frente ao computador!"

O mistério do tamanho da barriga

Já repararam que existem apenas dois tamanhos de barrigas de grávidas:

1. as que têm uma barriga muito grande para o tempo que têm

2. as que têm uma barriga muito pequena para o tempo que têm

Não há ninguém que olhe para uma barriga de grávida e diga: "Estás mesmo com a barriga de tamanho apropriado para as semanas que tens". Em compensação, toda a gente diz: "Que barriga tão grande para x meses!" ou ainda "Que barriga tão pequena para x meses!". E para tornar a coisa mais engraçada, muitas vezes a barriga é a mesma e os comentários que se ouvem são opostos... Curioso, o mistério do tamanho das barrigas!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Diabetes gestacional

"A curva glicémica é um pouco diferente em mulheres grávidas. Segundo as novas recomendações, todas as mulheres grávidas, à exceção das com menos de 25 anos e sem histórico familiar, devem ser testadas. O teste deve ser efetuado entre a 24a e a 28a semana de gestação e consiste na coleta de uma amostra de sangue para a dosagem de glicemia 1 hora após a ingestão de uma sobrecarga oral de 50g de glicose. Valores iguais ou superiores a 140 mg/dl indicam a necessidade de um teste completo.
Nesse caso, o teste deve ser feito com sobrecarga oral de 100g de glicose e amostras de sangue par a dosagem de glicose colhidas antes da dose e 1,2 e 3 horas após. Os valores limites são: em jejum 95 mg/dl; a uma hora 180 mg/dl; a 2 horas, 155 mg/dl e a 3 horas, 140 mg/dl. O diagnóstico do diabetes gestacional requer que pelo menos duas das quatro glicemias apresentem valores iguais ou superiores aos limites descritos. "


Tendo em conta que hoje fui buscar as minha análises e o valor de glicémia após ingestão de 50gr glicose e 1 hora de espera era de 177, parece-me que o mega-gelado que comi no sábado vai ser o último que vou comer nos próximos meses...

O problema nem são os gelados (pronto, também são, mas...), mas a necessidade de me controlar no que como e nas horas a que como. Eu não como muitos gelados, mas quando me apetece, é muito difícil resistir. E à fruta, e ao pão... Segundo sei, os diabéticos têm que ter cuidados com massas, pão, fruta, doces, etc. Presumo que no caso de diabetes gestacional seja mais ou menos a mesma coisa.

Bem, já mandei as análises por fax para a médica, agora só estou à espera do telefonema dela a anunciar o veredicto. Eu bem achava que estava tudo a correr muito bem: nem enjoos, nem azia, nem engordar em excesso, nem pés e mãos inchados com o calor... havia de me calhar alguma coisa!

quinta-feira, 19 de março de 2009

E porque hoje é dia do Pai...

O pai de lá de casa já recebeu a sua primeira prenda:


Este livro aborda as principais questões sobre os bebés de forma prática, tal e qual como os livros de instruções dos electrodomésticos e dos automóveis. É simplesmente fantástico. Dizem-nos o que fazer quando o nosso modelo chora, o que fazer para regular o volume sonoro, como lidar com a fonte de alimentação, como programar as assistências técnicas no médico, etc.
Por isso achei tão adequado para o papá, ainda muito "verde" nestas questões de bebés mas tão experiente em lidar com manuais de intruções.

quarta-feira, 18 de março de 2009

As rádios locais

No meu local de trabalho tinha uma aparelhagem toda catita que fez o favor de avariar há duas semanas. Desde aí tenho um rádio pequenino que apanha apenas as rádios locais da cidade onde trabalho da cidade vizinha. Aí é que começam os meus problemas. Como é que eu me posso concentrar a trabalhar com:

- o programa semanal das crianças do preparatório (ainda é assim que se chama?) que lêem histórias e fazem entrevistas (lidas) a altas individualidades... como a professora de português lá da escola. Vá lá que é semanal!

- as informações sobre o início das obras na loja X e no consultório do Dr. Y, sobre o atraso do autocarro nesta manhã a recolher as crianças para a escola, etc.

- as notícias sobre o incêndio que, às 10h da manhã, deflagra numa terrinha vizinha e que está prestes a destruir a povoação; mas que às 11h da manhã não passou de um falso alarme e de uma brincadeirinha de alguém que resolveu ligar para a rádio a dar uma notícia falsa e que ninguém resolveu confirmar

- as músicas que mais parecem da M80 ou da Nostalgia (ainda existe?) mas escolhendo as piores músicas de sempre

Eu confesso que até acho muita piada às rádios locais... mas para ouvir de vez em quando, não 10 horas por dia todos os dias!!! Volta depressa aparelhagem!

segunda-feira, 16 de março de 2009

O trauma do segundo nome

Desde que pensei em ter filhos decidi (sózinha!) que ele ou ela haveria de ter apenas um nome próprio.

Eu tenho dois, e detesto o meu segundo nome. Não porque seja um nome feito (porque nem é), mas porque a combinação dos dois fica mesmo mal. Eu não gosto e não conheço ninguém - para além da minha Avó - que goste.

Depois de discutirmos sobre qual seria o nome o nosso piqueno chegamos a três possiveis: João, Diogo e André. O pai não gosta muito de André juntamente com o último nome, por isso à partida não seria nome principal. Ficava então João e Diogo. Gosto de ambos, o pai também, a escolha estava difícil.

Então, o pai sugeriu João Diogo. Ora... lá chegamos ao problema do segundo nome. Eu disse logo que não, que teria que ser um ou outro. Mas combinamos que durante o dia de ontem o chamariamos de João Diogo para experimentar e para ver se soava bem. Até nem soava muito mal, mas... e se estou a cometer um erro nesta combinação?? Afinal se ele for João Diogo ninguém o vai tratar pelos dois nomes, vai ser sempre João. Então para quê ter o Diogo? Irra que está difícil.

Podem dar uma ajudinha ali ao lado? Sejam sinceros... até porque é anónimo!!

sexta-feira, 13 de março de 2009

E não há margem para dúvidas...

Desta vez saí da eco com uma certeza: vamos ter um rapaz todo giro para mimar!!! Sem qualquer margem para dúvidas nem para surpresas na altura do parto! Pelo menos foi o que me assegurou a médica e o N. (ele diz que viu muito bem o "material" do rapaz).

De resto está tudo muito bem. Ele está no percentil 50 das 20 semanas, por isso não é gordo nem magro. É simplesmente perfeito! O truque de comer o docinho antes da eco deu mesmo resultado, tanto que a médica se queixava que ele não parava quieto (claro que eu não lhe contei sobre a quantidade de gomas que tinha comido na sala de espera!). Enquanto estava deitada à espera que a médica da eco chegasse tive mesmo a noção de que era ele a mexer-se na minha barriga. No entanto a médica alertou-me que se não o sentisse tanto era perfeitamente normal, uma vez que tenho a placenta posterior (entre a "barriga" e o bebé), e por isso é mais difícil senti-lo. E o papá ainda mais. Mas lá chegará o dia, sem pressas.

A consulta na minha médica foi pacifíca. Eu tão preocupada com o peso e diz ela que emagreci... a balança dela não pode estar bem. Ou melhor, eu acho que ela viu o peso a correr, porque eu vi mais dois kg do que ela. Mesmo assim, segundo o que eu vi emagreci 1kg (ela diz que foram 3kg). De qualquer maneira, como eu já sou suficientemente gordinha e como o bebé está perfeito para o tempo que tem, não há que preocupar. Só não percebo porque é que pela balança de casa eu aumentei de peso. Mas a da médica é que deve estar certa! :-D

Agora só falta chegar a acordo com o papá sobre o nome do rapaz... e não vai ser fácil!!! Vamos ver se durante o fim de semana chegamos a consenso. Nem queremos envolver a família na escolha, senão então o miúdo chega aos 18 anos sem nome!

quarta-feira, 11 de março de 2009

Ecografia

Amanhã é novamente dia de ecografia. Desta vez da morfológica. Como seria de esperar estou ansiosa, mas não tanto como das anteriores. Já vi que o meu pequeno bebé é teimosinho como a mãe e só se vai mostrar convenientemente quando ele quiser, por isso... não vale a pena contar com isso. Espero é que deixe medir tudo direitinho para não ter que lá voltar noutro dia.

De resto tudo corre sobre rodas. Acho que já começo a sentir mais o bebé, o que me deixa sem dúvida mais sossegada. Mas por outro lado, quando ele está a dormir ou pura e simplesmente não está para se mexer, sinto falta.

Também acho que amanhã, na consulta depois da eco, vou ouvir um sermão sobre o aumento de peso. Não tanto pelo que aumentei ao todo durante a gravidez porque acho que até foi muito bom (4kg em 4 meses está bom!!), mas pelo que aumentei no último mês (quase 2kg)... Ainda não conheço essa faceta da minha médica, pode ser que ela até nem seja mázinha!

segunda-feira, 9 de março de 2009

Não há nada como uma boa sessão de nostalgia...

E foi isso que fiz este fim de semana. Vi imensas fotos de quando era pequena, minhas e do meu irmão. Todas tão giras!! O meu pai sempre adorou fotografia e por isso temos o privilégio de ter imensos albuns de fotos e outros tantos slides (lembram-se dos slides?). Esta é um dos slides que o meu Pai digitalizou recentemente. Devia ter cerca de 3 anos.
Gosto muito da minha vida actual, mas confesso que tenho saudades destes tempos...

quinta-feira, 5 de março de 2009

Apetite

Por cá continuamos sem grande apetite. Apetece-me comer imensas coisas boas, mas depois na hora de as comer fico satisfeita com muito pouco.
Ontem apetecia-me hamburguer com queijo, batatas fritas e ovo estrelado. Como cheguei tarde a casa eram quase 21h e ainda andavamos nós de volta dos tachos. Quando me sentei à mesa... comi meio hamburguer (tinha dois pequenos para mim e a mesma quantidade para o N.) e o ovo. Não passava mais nada. O N. é que lucrou porque para "não estragar" acabou por comer a minha parte e a dele.
Mas apesar de não ter conseguido jantar quase nada, bebi um gigantesco sumo de laranja, maçã e cenoura que me soube pela vida! Ainda tive paciência para o fazer na maravilhosa máquina de sumos que o meu pai me emprestou e ficou divinal. Mas depois fiquei a pensar... será que me fará mal beber tanta fruta? É que tinha no mínimo umas 5 laranjas, 5 maçãs grandes e 2 cenouras. Deu um copo bem grande para cada um (uns 40cl)...

segunda-feira, 2 de março de 2009

Independentemente das opções de cada uma...

Hoje liguei para a Ordem da Lapa, hospital onde pretendo ter o meu bebé. Queria confirmar se a minha médica ainda tinha convénio com eles e quanto ficava o parto através do meu seguro de saúde. A resposta da senhora foi pronta: "A cesariana custa 2.830€". Achei curioso. Eu perguntei quanto custa um parto e ela respondeu-me com o custo de uma cesariana. Será que público=cesariana? Depois lá insisti e disse-me também o custo de um parto normal.

Com este comentário não quero criticar quem faz uma cesariana programada (o medo também já me levou a pensar nisso, confesso), mas antes realçar os extremos: no público, diz-se que as mães podem sofrer horas e horas para priveligiar o parto normal; no privado, parte-se imediatamente para a solução mais fácil, a cesariana. Será que a realidade é mesmo assim? E o meio termo?

Lojas de rua

Depois de sair da eco na 5ª feira fui dar uma volta pela Rua de Cedofeita. Há bastante tempo que não ia para aqueles lados e deliciei-me. Eu gosto mesmo é de andar às compras nas lojas tradicionais e acima de tudo ao ar livre. Nos shoppings encontramos quase sempre as mesmas roupas, as mesmas cores, as mesmas lojas. Já está tudo visto.

Nas lojinhas de rua há um mundo novo de roupas de bebé! Coisa mesmo giras e para todos os gostos: mais tradicionais, mais modernas, cores claras, cores vivas, tudo! E nada caras. Comprei alguns bodys de apertar ao lado bem giros, e vi uma série de fatinhos lindos de morrer. Tenho que lá voltar com o papá, porque sózinha perco-me nas compras!