sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Fim de semana

Depois de planeado um fim de semana em grande em Lisboa até ao último detalhe surge o elemento surpresa: a chuva! Irra! E pelos vistos só na segunda feira é que vamos ver a cor do sol.

Aceitam-se sugestões sobre o que fazer com um bebé em Lisboa ou arredores em dias de chuva e trovoada (sim, trovoada também, obrigadinha!).

Agradece-se desde já toda e qualquer sugestão.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Post demasiado lamechas e babado e sem interesse para os estimados leitores

Fica tãããoooo lindo quando põe o telefone no ouvido para fazer de conta que está a falar. E quando não o põe direito dá-lhe uma volta para que fique direitinho.

E é tão giro quando carrega em qualquer botão da aparelhagem do nosso quarto e olha para a televisão achando que vai provocar nela algum efeito. Já que quando mexe no dvd ou box na sala algo se altera na televisão, ali também devia acontecer algo do género! Tão inocente :) (mas já procura a causa-efeito).

E quando lhe ponho a chupeta ao contrário? Lá vai ele com aquela mão gorducha pô-la direita (esta já faz há meses, mas tenho-me esquecido de registar). Tão castiço.

E quando entra no elevador, ri-se envergonhado para o espelho e diz "Olá!"? De-li-ci-o-so!

E a andar no meio de uma roda feita pelo pai, pela mãe, pelo avô e pelo tio? Vai do avô para o pai (que estão frente a frente), do pai para o avô, do avô para o pai, eu chamo e ele inclina-se para mim e à última da hora engana-me e vai para o pai novamente. E ri-se (rimo-nos) muito. Sim, já muda de direcção em andamento.

E tantas outras coisas... Inauguro aqui a série "Post demasiado lamechas e babado e sem interesse para os estimados leitores". A actualizar com frequência para ficar registado para a posteridade.

Sabemos que está a chegar o Natal...

... quando começamos a ver spots publicitários sobre bonecas e pistas de automóveis nos intervalos dos telejornais da noite.

(Ainda bem que o João, por este ano, está imune a isso! Pena que seja só este ano...)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Lavar os dentes

Ver o João a lavar os dentes é um mimo!

No primeiro dia pusemo-lo em frente ao espelho do quarto de banho a ver a mãe lavar os dentes. Depois o pai. E depois tentamos que fosse a vez dele. Não deixou.

No segundo dia fizemos o mesmo. Também não correu muito bem.

No outro dia fomos lavar-lhe as mãos ao quarto de banho. Ele apanhou a escova que estava em cima do lavatório, meteu-a na boca e toca a abanar a mãozita como o pai e a mãe faziam nos dias anteriores. Um mimo!

(Fica tudo mal lavado, é certo. Mas é um bom princípio!)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

TPC

Este fim de semana tivemos direito ao primeiro trabalho para casa do João. Foi mais um trabalho para casa para os pais do João, mas tudo bem. O objectivo era fazer algo alusivo ao Dia das Bruxas para decorar a entrada do infantário. Ora eu que não gosto nada destas coisas (adoro!), pus-me logo a imaginar tudo o que poderiamos fazer.
Acabamos por fazer um mobile para pendurar no candeeiro com aranhas e morcegos em cartolina preta, fantasmas em cartolina branca e abóboras de Halloween em cartolina branca pintadas de laranja pelo João com tinta própria para pintar com as mãos. Modéstica à parte ficou muito catita! E teve a participação do João... esta é que eu não estava a ver como ia acontecer, mas depois lá me lembrei destas tintas.
Senhoras educadoras: faz favor de lhe dar um lugar de destaque, sim?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Concerto para bebés

Ontem fomos à Casa da Música ouvir um concerto "Primeiros Sons". Alguns instrumentos de corda e um grupo bem disposto de Catalães fizeram as delicias da criançada.

Estava mais gente do que eu estava à espera não permitindo que o espectáculo fosse tão interactivo como eu imaginava. Mas ainda assim gostamos. Junto a nós estava (por vezes) o Violoncelista que encantou o João. Dançou grande parte do tempo, mas não bateu palmas com o resto dos meninos no final de cada música... acha mais piada a bater palmas durante a música. Mais para o final (durou uma hora) começou a ficar sonolento. Tenho a sensação que estar habituado a ouvir o canal de música clássica Mezzo quando adormece com o Avô tem alguma coisa a ver com isso.

Resumindo: é um concerto aproveitado de forma diferente pelas diferentes idades que lá estavam (3 meses a 5 anos). Mas gostei e recomendo.

domingo, 24 de outubro de 2010

Gritos

O João apanhou o péssimo hábito de gritar (ou será guinchar?). Por tudo e por nada dá o seu grito de guerra. Em qualquer lado. Isso tira-me do sério. A sério. Eu detesto gritos. Alguma sugestão?

sábado, 23 de outubro de 2010

No dia em que fez 15 meses...

... foi tão lindo vê-lo dar tantos passinhos tão seguro de si próprio... sem que ninguém o chamasse ou incentivasse como já fazia desde o início da semana. Nada. Largou a mão da cadeira e foi. Andou. Tão giro!

Mas ainda é muito cauteloso, o rapaz! Olha, avalia, e decide se anda ou se gatinha. Excepto quando se entusiasma com alguma coisa, aí até se esquece que está a aprender a andar e vai a toda a velocidade.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Anteontem ao jantar

Enquanto nós jantavamos o João estava na sua cadeira da papa entretido a comer uns quadradinhos de queijo. Começou a ficar rabujento e dei-lhe uma colher para a mão para se distrair.
Começou a tentar apanhar o queijo com a colher, mas o diabo do queijo estava sempre a fugir. No entanto o João não deixa que levem a melhor: com uma mão pegou na colher, com a outra pegou no quadrado de queijo, pousou o queijo no sítio devido da colher e levou a boca. Mais nada!

(e penso que já está melhor, obrigada! De qualquer forma hoje temos a consulta dos 15 meses e já tiramos as dúvidas.)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

E depois de um dia sem febre...

Esta noite voltou. Às 3 da manhã fui tapá-lo (os vossos bebés dormem tapadinhos toda a noite??) e achei que estava muito quente. Medi a temperatura e aí estava: 38,8º. E eu que pensei que ele já estava bem... Pus-lhe um supositório de Ben-u-Ron e fui brindada com um xixi que molhou body, babygrow, fraldário, pijama do pai, etc. Claro que tive que o mudar todo e acabou por acordar. Adormeceu com um biberão de leite.

Acordou novamente às 6h15 a chorar compulsivamente. Até vómitos lhe davam de tanto chorar. Não sei o que tinha, confesso. Febre não tinha. Levei-o para a sala, pu-lo à janela a ver as luzes e os carros e acabou por acalmar. Entretanto já eram 6h35 resolvi dar-lhe um biberão de leite para o ajudar a acalmar mais e quem sabe dormir. Pois sim. No fim do biberão parecia um rapaz novo. Brincava, falava, ria, tudo o que possam imaginar. Esteve a ver o Pocoyo, a desfolhar livros, a encaixar peças, a desfilar com o seu andador, etc. Às 6h45, repito. Hora dos adultos dormirem, claro está. A mãe esteve no primeiro turno (até às 7h15) e o pai no segundo (a partir dessa hora). Agora aposto que dorme um sono descansado no colo do avô. E o pai e a mãe trabalham... dentro do possível. É a vida!

(Só espero é que a febre não volte!)

6h45

Primeiros passinhos

Ontem o João deu os primeiros passinhos sózinho. Mas não anda, não podemos dizer isso. Dá apenas uns 3 ou 4 passinhos sózinho, e nem sempre. Só quando lhe interessa. Acho que vai ser difícil começar a caminhar porque ele não quer andar, quer correr. E isso não é fácil!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Da reunião na creche - parte 2

A reunião começou com os pais todos sentados naquelas cadeiras minusculas de criança a olhar para a Directora do infantário que dava um (um não, três ou quatro!) raspanetes aos pais. Ou porque não levavam os medicamentos identificados e com a devida dosagem para as educadoras darem aos meninos. Ou porque os meninos chegam sistematicamente depois da hora estipulada por eles para os receber. Ou porque é preciso dar banho às crianças e trazer roupa e batas limpas de casa. Ou porque não podem trazer os meninos com febre ou doenças contagiosas para a creche porque contagiam os outros todos. Mas um raspanete a sério, a insistir sempre no mesmo. Eu, julgando que estava entre adultos, comecei a fazer a minha cara n.º 31 de quem estava a gostar pouco do assunto e que já se estava a passar.
Falar em dar banho às crianças nos dias de hoje? Mas alguém não dá? Não digo todos os dias, o João já adormeceu no carro ou no sofá sem banho e não foi por isso que o acordei ou vou acordar no futuro. E tudo o resto... são coisas básicas. Os atrasos ainda posso perceber, mas o resto?

Depois percebi que estes recados todos eram direccionados. A um pai e uma mãe. Um casal especifico que tem um menino que aos 18 meses pesa mais de 14kg. Um menino que chega sistematicamente atrasado porque a mãe (que não trabalha) é vista na zona a ver montras ou a deambular pela rua com o bebé ao colo. Um menino ao qual os pais se recusam dar supositórios Ben-u-ron de dosagem superior a 125mg (aconselhado apenas até aos 10kg)porque ele é muito pequenino. Um menino que passa dias sem ver água no corpo e que aparece com a mesma bata que usou na semana anterior. Um menino a quem a Directora já tirou algumas vezes a bata em dia de sol só para lavar. Um menino que, no berçário, levava na mochila para o lanche um Bolicao ou aparecia logo de manhã de pacote de batatas fritas Matutano na mão. Isto no berçário, com menos de 12 meses. Um menino que eu já vi sentado no separador central (não, não estava no passeio) de uma rua movimentada perto do infantário, enquanto a mãe procurava não sei o quê no saco. E já foi há uns meses, era bem pequeno.

E no fim disto tudo tenho pena daquela família. Porque das poucas vezes que falei com a mãe pareceu-me claramente que ela tinha um pequeno atraso mental real. E porque nesta reunião pareceu-me que o pai, que não conhecia, tinha um atraso mental mas daqueles que só nos apetece dar-lhe com um pau pela cabeça abaixo. E porque aquele menino corre riscos reais. E porque todos os meninos deviam ter pais conscientes que os protegessem. E porque não deveria ser a Directora da creche a deitar fora Bolicaos para o bebé não comer ou a lavar a bata ou a relembrar aos pais que devem dizer à educadora a dosagem e o horário em que o menino toma um medicamento. Lá em casa não somos perfeitos, mas há coisas básicas, não há?

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Da reunião na creche - parte 1

A primeira parte da reunião foi... já vos conto.

A segunda parte da reunião foi mais animada.

A educadora falou dos projectos que tinha para este ano, ainda muito básicos mas adequados à idade deles. Vão ser temas fundamentais como a alimentação, a higiene, os animais, etc.

Convidou os pais e avós a participarem nos trabalhos de casa com imaginação e a deslocarem-se à escola para contar uma história aos meninos ou fazer outra actividade com todos eles.

Disponibilizou-se para reunir com os pais sempre que entendessemos ser necessário. Outra coisa não seria de esperar.

Mostrou algumas fotografias dos meninos na sala. Quando apareceram as primeiras do João, ouvi três ou quatro pais ao meu lado dizerem: "Olha o João! EhEhEhEh!!". Não os ouvi fazer comentários sobre as outras crianças, apenas sobre as deles. Das duas uma: ou o meu filho é muito malandro e todos o conhecem, ou o meu é muito simpático e todos o conhecem. Eu, modéstia à parte, voto na segunda.

Depois mais em privado soube que ele anda sempre atrás das meninas... mas elas estão em maioria! São 8 para 4 meninos, atrás de quem é que ele ia andar?? Disseram-me que ele é muito carinhosos e passa a vida a tentar dar beijinhos e a fazer festinhas a todos os colegas e às educadoras. As colegas é que não gostam muito e passam a vida a fugir dele. Esquisitinhas! Também me disseram que deve começar a andar em breve. Volto a dizer: será?

O meu bebé lindo está doente

Sábado de tarde encostou-se no meu colo muito agarrado ao urso de peluche gigante. Devia ter adivinhado logo que havia qualquer coisa de errado. Ele não é menino de ficar sossegado no colo por muito tempo, muito menos aninhado. Mas ainda fomos comprar umas coisas ao shopping e jantamos por lá.
Adormeceu no carro, deitamo-lo e por volta das 23h acorda a chorar. Muito. Senti-o quente, medi a febre e lá estava: 38,9º. Ben-u-ron. Leite quente (que recusou). Nada o acalmou. Trouxe-o para a nossa cama e lá conseguiu dormir. Às 6h da manhã estava muito quente outra vez. Mais Ben-u-ron, desta vez sem sequer o acordar. Dormiu relativamente bem (nós é que não).
Ontem , durante o dia, foi tendo febres não muito altas. O que me alertou foi o facto dele estar muito choroso. O João não é assim, nem doente. Ele é geralmente bem disposto e malandro. Ontem só chorava. Decidi levá-lo ao médico. Tinha a garganta vermelha, muito mais vermelha que a da mãe (que está muito vermelha e que dói imenso). Devia doer-lhe muito a garganta. Fase dificil esta em que eles não se queixam... Antibiótico para mãe e filho. Ben-u-ron para as dores e a febre. E esperar que passe.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Manhãs babadas

Esta manhã, quando acordamos ouvimos o João a "falar" na cama dele. Fomos buscá-lo para a nossa para aqueles minutinhos de mimo antes de ser mesmo preciso levantarmo-nos. Em recompensa fomos brindados com uma sessão de beijinhos de bom dia cheios de baba e muuiito deliciosos. Com tal começo, o dia hoje só pode correr bem!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Papá

O João passa a vida a dizer papá de uma forma deliciosa. O pai tinha ciúmes porque ele só dizia mamã... agora parece que já nem se lembra como se diz mamã!!

Quando chegamos a casa à noite o pai costuma vir buscá-lo ao carro. Ontem, a primeira coisa que disse quando estacionei o carro e olhei para ele foi: "Papá!". Mesmo sem o ver já sabia que ele o viria buscar.

Reunião de pais

Na sexta feira vou ter a minha primeira reunião de pais.

Ora bolas, ainda há pouco tempo pedia à minha mãe para ir às minhas reuniões de pais e já vou ter a primeira reunião enquanto mãe? Ai!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Eles são muito espertos

A noite de ontem, como já referi, foi para esquecer. Tentamos adormecer o João na nossa cama pensando que com a nossa companhia ele se sentisse melhor e dormisse sossegado. Pura ilusão, claro está. Queria era brincadeira a toda a hora. Deu voltas e voltas na cama, deitou-se em cima da minha cabeça, esmagou o pescoço do pai, etc. Enfim: fez montanhismo por cima de nós, do edredon e das almofadas... Até que eu me aborreci porque já era muito tarde e ele tinha mesmo que dormir e disse-lhe num tom sério, curto e grosso: "Chega João. É hora de dormir, por isso vais dormir. E se não páras quieto levo-te já para a tua cama. Vamos dormir." E o que é que o trafulhinha lá de casa fez? Deitou a cara em frente à minha, pousou a mãozinha dele na minha bochecha e começou a fazer-me festinhas. Ai a minha vida!!!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dentes aos molhos

Primeira vez: 1 dente (incisivo central inferior)
Segunda vez: 5 dentes (todos os incisivos de cima e o outro incisivo central inferior)
Terceira vez: 4 dentes (os dois incisivos laterais de baixo e dois molares de cima)

Puxa rapaz, não podias deixar crescer os dentes um bocadinho mais devagar? Um de cada vez, talvez... assim sofrias menos e os pais também... era 1h da manhã e ainda não dormia.

Nota mental : não esquecer que isto são só umas noites! Não esquecer que ele é um menino que dorme maravilhosamente bem e por isso há que relevar estas coisas e dar muito mimo. Zzzzzzzzz....

sábado, 9 de outubro de 2010

Férias

A semana que passou foi de férias. Férias chuvosas mas com muito para dizer: uma visita ao SeaLife, um encontro casual com uma Princesa muito simpática e que desconfio que se vai dar muito bem com o João (pelo menos na genica devem ser do género!), um desgosto por não podermos ir ao Vigozoo devido à chuva, a surpresa de ver o candeeiro que andava a namorar há uns tempos largos com 25% de desconto devido a remodelação da loja, compras e mais compras (quase tudo para o João!), etc, etc.

Mas depois de chuva, chuva e mais chuva, nunca esquecendo o vento, hoje de manhã estivemos assim na praia:

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Cinco anos

"É quantos os papás fazem de casados hoje. Para os ajudar a celebrar resolvi fazer xixi em quantidade XL e deixar sair por fora da fralda. Claro que acordei com frio e choraminguei por volta das 6h. Os papás trocaram-me e depois não quis dormir mais para podermos ter mais horas no dia para celebrar. Mas a mãe tramou-me: deu-me um biberão de leite quentinho por volta das 7h... aquilo caiu-me na fraqueza e deixei-me adormecer. Que aborrecido, assim vou ter menos uma hora com os papás neste dia especial."

João, 14 meses, o noctivago

Partilhando

"Somos bons modelos para os nossos filhos? Os filhos observam os pais. Às vezes, nem os largam debaixo de olho. Concentram-se neles e observam pormenores que nos custaria imaginar. Observam como fazem as coisas. Vêem-nos a cozinhar, conduzir, ler, fazer desporto, a arranjar pequenas coisas em casa, a arrumar e a limpar. Percebem quando sorriem e se divertem, e quando se aborrecem ou estão tristes. Analisam o seu caracter: se se mostram simpáticos ou sérios, tranquilos ou nervosos, altruistas ou egoistas, compreensivos ou severos, dialogantes ou autoritários, carinhosso ou frios.
Observam como os ajudam, o apoio que lhes prestam, o tempo que lhes dedicam, o carinho qu elhes proporcionam. Tanto a sua maneira de ser como o seu comportamento e atitudes influenciam os filhos. São uma referência, um ponto de comparação, um modelo para a sua aprendizagem."
in Educar sem gritar, de Guillermo Ballenato

Isto eu acho que é 100% verdade. Outras teorias que li neste livro, nem por isso. Mais uma vez, cabe-nos a nós fazer a triagem do que verdadeiramente importa para nós.