quinta-feira, 30 de abril de 2009

Médicos, dietas e afins

A propósito da minha dieta e dos valores da glicémia, conversava noutro dia com uma colega sobre o que cada uma das duas médicas que tinha consultado me tinha dito... e que curiosamente nem sempre foi coincidente. Ela respondeu-me, com toda a lógica do mundo, que se eu perguntasse a um terceiro médico, ou a um quarto ou ainda a um quinto, todos eles teriam teorias ainda mais diferentes do que estas duas médicas.

E ontem constatei isso mesmo... ao conversar com a médica do trabalho, disse-me coisas que contradizia as opiniões de ambas as médicas que consultei anteriormente. E em qual delas é que eu vou confiar??? Estou baralhada!!!

Come fruta! Não comas fruta! Lancha iogurte! Não, lancha fruta e bolachas! Não comas pão! Come pão senão ficas cheia de fome e depois é pior! Sopa sempre sem batata, feijão e grão. Não, o grão e o feijão pode ser! Apre!!

Cá para nós, acho que vou fazer a minha própria dieta que vai incluir já neste fim de semana um belo bolo de noz em que só preciso de substituir o açucar por adoçante (porque nem farinha leva). Não concordam comigo?

terça-feira, 28 de abril de 2009

E para a semana...

.... começam as aulas de preparação para o parto no Centro de Saúde. Esqueci-me de perguntar durante quanto tempo vou ter aulas, sei apenas que é duas vezes por semana, uma hora cada aula. Falei ontem com a enfermeira Conceição, uma senhora adorável e que tentou ao máximo conjugar as aulas com a minha disponibilidade e a do papá.
Infelizmente, o papá não vai poder frequentar, mas eu chego a casa e conto-lhe tudinho. E pode ser que haja uma ou outra aula mais dedicada aos papás que ele possa sair mais cedo para ir.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

As hormonas têm destas coisas... ou as hormonas são agora uma boa desculpa para tudo

Ontem chorava compulsivamente a ver o filme "Marley e Eu".
Ontem queria ir ao shopping comprar a prenda para o aniversário do meu pai e passado uns minutos ansiava por vir embora.
Ontem desesperava por um doce ou uma qualquer porcaria e contentava-me com meia colher (sim, eu disse meia!) de mousse de chocolate do papá.
E ainda poderia mencionar mais, muuuiiiito mais!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Bebé irrequieto

Têm sido dias muito engraçados com o João Diogo (ontem tratei-o aqui só por João e o pai ralhou-me, imaginem só...).

Mexe mais que nunca e, para além de se sentir, também se vê a barriga aos saltos.

Às vezes parece uma autêntica revolução na minha barriga... será que tem alguma coisa a ver com o feriado de amanhã? :-)

Uma coisa é certa: ele vai trazer uma revolução (boa) às nossas vidas. Estás preparado, papá?

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Ontem fui ao centro de Saúde

Como já disse anteriormente sinto-me priveligiada cada vez que lá vou porque a minha mãe trabalhou lá muitos anos e ainda por lá andam algumas pessoas do seu tempo (já deixou de trabalhar há 10 anos e faleceu há 9).
O que eu não contava é que uma enfermeira novinha (mais nova que eu?), quando lhe disse que conhecia bem o Centro de Saúde por dentro e por fora porque a minha mãe lá tinha trabalhado, me perguntasse o nome dela e com a minha resposta automaticamente reconhecesse o nome, me dissesse o diminutivo pelo qual ela era tratada por lá e comentasse que ouve falar muitas vezes dela. Ficou um quentinho no coração por saber que o seu trabalho e a sua memória ainda hoje são lembrados e reconhecidos até por quem nem sequer a conheceu.

E agora a parte mais divertida: porque é que esta conversa aconteceu? Porque a enfermeira queria ouvir o coração do João o aparelho não ligava. Saiu da sala para averiguar o que se passava e chegou surpreendida e a comentar que o Centro de Saúde ia de mal a pior. E porquê? O aparelho não funcionava por falta de pilha e não havia nenhuma no Centro de Saúde inteiro para substituir...

quarta-feira, 22 de abril de 2009

E hoje faltam apenas (ainda)...



Ainda não podemos começar a contagem decrescente... ou já? Only 100 days to go.

terça-feira, 21 de abril de 2009

O papá tem muita piada... tem, tem...

Ontem, falava com o papá sobre a quantidade de roupa que o nosso filhote tem e sobre a necessidade de comprar mais algumas peças de tamanho 0 ou 1.

Ele achava que não porque dizia que se for preciso compramos quando nascesse. Eu achei piada à ideia de o ver sózinho, num shopping, a escolher roupa de recém nascido, porque obviamente eu não estaria em condições de ir para o shopping 4 ou 5 dias depois do parto. E sabem o que é que ele me respondeu???

"Com o desespero que tu andas por causa da dieta, sais da maternidade e vais querer ir directa ao shopping comer um hamburguer bem recheado e um crepe com gelado e chocolate! E aí já podemos comprar..."

E se calhar até tem razão! :-)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

E no sábado

Conheci umas meninas muito simpáticas da blogosfera. Eram tantas que ainda não consegui descobrir os blogues de todas, mas eu chego lá!! E que bom estava o bolinho!!! Obrigada!

Consulta de endocrinologia

Fui na sexta feira à endocrinologista por causa dos valores altos da glicémia. A médica disse-me que os valores não estavam muito altos (com execpção de um), mas que convinha de facto controlar. Vim de lá com uma dieta e uma maquineta para picar os meus ricos dedinhos. Tenho feito religiosamente 4 picadas por dia, em jejum e depois das 3 principais refeições. Em jejum, o valor máximo de glicémia é 90 e uma hora depois das refeições 140.

Os meus valores são qualquer coisa de estranho. Tão depressa dá valores óptimos (como 81 ou 85 uma hora depois do almoço ou jantar), como em jejum dá 95 (acima do limite) ou depois do pequeno almoço 145(acima do limite). Não percebo nada disto. Eu que até tenho seguido a dieta tão direitinha (com execpção de um bocadinho pequenino de bolinho óptimo que me deram no sábado). Parece que os valores tem mais a ver com o meu corpo e não com o que como... será? É que se for assim fico mais preocupada... enfim, vou registar os valores e daqui a 15 dias volto à endocrinologista. Depois logo se vê, não vale a pena preocupar-me já. Se tiver que tomar insulina, será mesmo isso que vou fazer. Afinal, o meu João Diogo merece todos os sacrificios.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Para quem ainda não se decidiu...

...e para quem já decidiu não pagar para fazer a criopreservação das células estaminais do cordão umbilical, fica aqui a informação recebida hoje por e-mail do Centro de Histocompatibilidade do Norte, responsável pela Lusocord, entidade que em Portugal detém o Banco Público de Sangue de Cordão. Há uns meses tinha mandado para lá um e-mail a pedir informações sobre o assunto e finalmente deram-me resposta... e vale a pena ler.
Caso tenham decidido não fazer a cripreservação numa empresa privada, podem sempre por a hipótese de doar as células estaminais do cordão umbilical a este banco podendo ajudar qualquer pessoa que delas precise (vocês, os vosso parentes ou outra pessoa qualquer).

CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE

Na doação para o Banco Público de Sangue do Cordão – LUSOCORD:.

- O sangue do cordão umbilical será utilizado para realizar um transplante de qualquer doente que dele precise.

- A informação referente à mãe e filho/a será tratada de forma confidencial e codificada de modo que fiquem protegidas as identidades.

- Será feita colheita de uma amostra de sangue para a realização das análises HIV-SIDA, Hepatite B e C, Sífilis, Toxoplasmose e Citomegalovirus, no dia do parto e opcionalmente 3-6 meses após. Também se realizarão análises no sangue do cordão e serão guardadas amostras da mãe e do cordão para posteriores análises.

- Não receberá compensação económica nem de nenhum outro tipo pela doação.

- Em caso de não ser usado o sangue para transplante, poderá ser utilizado para outras alternativas terapêuticas ou para investigação, sendo possível rejeita-lo se não cumprir os requisitos técnicos mínimos.

- Os critérios de elegibilidade para a dádiva requerem:

Idade:
A dadora deve ter mais de 18 anos e gozar de boa saúde
HIV/SIDA:
Se tem ou está em risco para HIV/SIDA não pode ser dadora.
Cancro:
Todas as formas de cancro à excepção do cancro já curado de pele (células basais ou células escamosas) ou cervical impedem a doação.
Diabetes:
Se tem Diabetes tratados com medicação não pode ser dadora.
Hepatite:
Se tem Hepatite B (HBsAg) ou C não pode ser dadora.
Transplantes de Órgãos ou Tecidos:
Se recebeu um transplante de coração, pulmão, rim, medula óssea ou outro órgão ou tecido não pode ser dadora.
Doenças Sexualmente transmissíveis:
Qualquer doença sexualmente transmissível nos últimos 12 meses deve ser avaliada pelo Banco do Cordão.
Tatuagens ou Piercings:
Se efectuou qualquer tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses não pode ser dadora.

- Se cumprir as condições acima indicadas terá de nos comunicar a sua morada e contacto telefónico 2-3 semanas antes da data programada para o parto para nessa altura enviarmos o kit de colheita. A caixa térmica com o sangue colhido será devolvida à LUSOCORD via transportadora MRW (de segunda a sexta feira). Todo o procedimento decorre sem custos para a dadora.

- Qualquer dúvida pode ser esclarecida ligando para o Centro de Histocompatibilidade do Norte, tel. 225 573 470, falar com Dr.José Fernando Teixeira ou Dra.Fátima Freitas.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

O papá lá de casa...

(clicar na imagem para ver maior)

... vai ter que se habituar a estes percalços.
Se agora te queixas que o meu carro parece um depósito de tudo (garrafas de água, guarda-chuvas, papéis e ticket de compras, sacos de compras, livros, etc), imagina quando formos dois a despejar tralha no mesmo carro!

terça-feira, 14 de abril de 2009

Ontem, na GO...

... entra uma rapariga grávida acompanhada com o marido e uma filha. O diálogo com a secretária da GO mostra uma realidade bem diferente da minha:

- Boa tarde D. X, como tem passado?
- Mal! Estou grávida!

Depois descobri que estava grávida de 30 semanas e que cada gravidez era um suplício, cheia de incómodos: dores nas costas, pés e pernas inchadas, azia constante, enjoos constantes, infecções urinárias, contracções, aumento exagerado de peso, etc.

E foi aí que pensei mais uma vez: "Que se lixem os doces, que sorte tenho eu em não ter mais razões de queixa para além dessa!!!"

Ah! E temos 700gr de rapaz saudável!!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Mais logo...

tenho consulta na GO. Acreditam que quase me esquecia? Agora, como já sinto o nosso "piqueno" já não sinto aquela necessidade imensa de ir à GO para que ela me diga que está tudo bem. Eu sinto que está tudo bem!

Quero apenas esclarecer com ela a questão dos diabetes gestacionais (ainda essa questão). Se por um lado me disse ao telefone que estava tudo bem, por outro disse-me que eu não podia comer doces, nem um pequenino de vez em quando. Não percebi muito bem e quero esclarecer o que posso ou não fazer, para que tudo continue a correr muito bem.

Barriga

Apesar de não ter comido amêndoas, pão de ló e outros que tal, a minha barriga este fim de semana cresceu a olhos vistos. Será que foi dos ares do campo?
.
.
.
.
.
Vá, confesso que comi umas amêndoas de chocolate sem açucar que o meu pai me deu. Mas foram tão pouquinhas que não pode ser isso :-)


(E mais uma vez a barriga ficou sem foto, mesmo com um fim de semana tão grande...)

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Feliz Páscoa

Imagem retirada daqui

Uma feliz Páscoa a todos! E cuidado com as amendoas de chocolate... elas perseguem-nos!

Curioso

Acho que o meu pequeno mudou de posição na minha barriga.

Desde aquele dia que eu comentei ter havido uma autêntica revolução na minha barriga, que o sinto menos e mais ao de leve. É curioso. Sinto-o na mesma, por isso não estou preocupada, mas sinto-o de maneira diferente.

São engraçadas as diferentes fases por que passamos...

terça-feira, 7 de abril de 2009

O tempo passa depressa

Provavelmente mais depressa do que o que gostaria.

Se por um lado a curiosidade é imensa e quero ver olhos nos olhos o nosso bebé, cheirá-lo, senti-lo, por outro, há ainda tanta coisa para comprar, tanta coisa para decidir...

Este fim de semana escolhemos a cama. Carota... mas parece-nos um bom investimento. Vai durar uns bons anos, já que é transformável. Mas falta ainda tanta coisa... e só agora chego à conclusão que estou um bocado desorganizada nas compras.

A única coisa que vou tendo são roupinhas lindas que vou comprando ou que me vão oferecendo. Acho que não tenho em quantidade exagerada, até porque estou a evitar gastar dinheiro mal gasto em imensa roupa que depois não vai servir. E só eu sei a força que é preciso para não comprar tudo o que vejo nas lojas!!!

O carrinho está praticamente escolhido, só falta encomendar. Precisamos de um roupeiro que também já está praticamente escolhido, só falta encomendar. Precisamos de um berço mais pequeno para ficar no nosso quarto que já está praticamente escolhido, mas... adivinhem... só falta encomendar. Precisamos de uma banheira alta que não dê cabo das costas dos pais, mas ainda não está escolhida. Precisamos de lençóis, toalhas de banho, mantas, chupetas, e mais quinhentas mil coisas.

Acho que as próximas férias que vou tirar via ser para andar de loja em loja :-)

sexta-feira, 3 de abril de 2009

E ontem à noite...

... enquanto esperavamos que o pai chegasse a casa de uma "maratona" de trabalho o nosso rapaz presenteou-me com uma sessão de pontapés que foi sentida quase no prédio inteiro :-) . Pois quando o pai chegou, nem um para amostra! Tem bem a quem sair, o teimoso!
(e com esta teimosia, o pai acha que o sentiu só uma vez, mas sem certeza, e eu fico triste)

Com os dias bons que estiveram...

... pensei que tinha resolvido o meu problema da roupa. Não tenho nada de inverno que me sirva em condições. A barriga não é muito grande, mas... as camisas sózinhas nem pensar (não apertam), as camisolas estão todas curtas e ficam horríveis com as calças de grávida, idem para os casacos de malha. Resta-me um casaco preto que é o meu amigo diário. Qualquer dia perguntam-me se quero uns trocos para comprar uma peça de roupa para variar :-) Eu até aceitava de bom grado, não garanto é que consiga comprar alguma coisa. Tudo o que vejo é tão fresquinho...

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Boas notícias

Estava tudo bem com as análises. Mais um caso de falso alarme!!!

Contudo, não esquecer que isso não significa comer doces em excesso. É preciso ter cuidado com a alimentação e repetir o teste daqui a uns 2 meses, porque com o avanço da gravidez, a probabilidade de ter diabetes é maior.

Obrigada pela vossa preocupação!

E a programação segue dentro de momentos...

Depois de dois dias muito esquisitos em que alternava estados de perfeita normalidade e animação com estados de imenso cansaço e mau-estar, volto hoje à rotina habitual.

Não sei muito bem o que se passou, se teve ou não a ver com a faringite. Desconfio mais que tenham sido quebras de tensão motivadas (ou não) pelo abandono total do açucar e pela alimentação menos própria (eu não conseguia comer com dores de garganta!!!). Ontem à noite vinguei-me e comi um pastel de nata. Um dia não são dias!

Fui buscar a prova de tolerância à glicose. Muito embora não perceba muito do assunto, parece-me que se confirma a diabetes gestacional. Dos quatro valores apresentados, o segundo (ao fim de 1 hora) está ligeiramente acima do limite, e o terceiro (ao fim de duas horas) está bem acima do limite. Os outros (em jejum e ao fim de três horas) estão muito bem. Mas segundo sei, basta que dois valores estejam alterados para se considerar diabetes gestacionais. Isto foi o que descobri no site da SPED. Os outros parâmetros solicitados pela médica estavam todos bem (hemoglobina glicosada e outros dois com nomes ainda mais esquisitos!).

Só não sei o que pensar porque ontem mandei os exames para a médica ver, e ela não me disse nada. Das duas uma: ou se esqueceu (que não é normal nela, é muito cuidadosa), ou estava muito ocupada e não teve tempo (também não é normal caso seja coisa grave), ou não é um caso assim tão grave e pode esperar pela consulta de dia 13. Daqui a pouco ligo para o consultório para confirmar com a secretária se lhe deu o exame.