segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Encontro com o Sr. Padre

No Domingo demos uma fugida à igreja onde o João vai ser baptizado para falar com o Padre. A minha Avó já lhe tinha falado no assunto e ele estava encantado por o termos escolhido. Convidou-nos a ir ter com ele depois da missa para tomar um café e conversarmos.

Encontramos um senhor ainda bastante novo, encantador, desempoeirado e dedicado aos seus paroquianos. Depois da missa "lancha" com os paroquianos (maioritariamente velhinhas e escuteiros) e dedica um bocadinho do seu tempo a falar com cada um deles. Gostei de ver. Disse-me depois a minha Avó que ele tem  curso superior de Teologia, de Arquitectura e ainda um outro que não me soube precisar.
Explicou-nos qual seria o processo e que não depende dele o facto de aceitar ou não os padrinhos. Como moramos numa outra paróquia, tem que ser o Padre da nossa paróquia a tratar de todo o processo. Diz ele que há uns padres ranhosos (palavras dele!) que exigem o crisma aos padrinhos, mas o mais que pode acontecer é cada um deles ter que apresentar uma declaração de idoneidade passada pelo pároco da paróquia da sua residência.

Referi os meus receios em que o João não se comportasse convenientemente durante a missa do baptizado. Disse-lhe que ele era mexido e conversador, que gostava pouco de estar muito tempo no mesmo sítio. Ele descansou-me dizendo que era apenas uma criança e que ele já viu de tudo: pais que lhe disseram o mesmo que eu e depois os bebés portaram-se que nem uns anjinhos, pais que lhe garantiram que os seus filhos eram os mais bem comportados da paróquia e que depois viraram a igreja do avesso, etc. Que não me preocupasse com isso. Esqueci-me de lhe perguntar pelas fotografias durante o baptismo... eu sabia que faltava mais qualquer coisa!

Ficou apalavrado para o mês de Maio, mas confirmamos depois de todo o processo estar concluído.

Se todos os padres fossem assim.... as igrejas estariam bem mais cheias.

1 comentário:

Mami ( Sónia ) disse...

Ainda bem que gostaram do padre. O daqui da nossa igreja apesar de já ser velhote também não complica nada. Quando nos casamos e fizemos o batizado da pulga ele foi super descontraído.