quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Do padre da paróquia

A coisa não correu mal. Diria que até correu muito bem. O padre, apesar de não ser antipático, não é uma pessoa tão simpática nem acessível como o outro. Mas eu levei alguém que, sem querer, me abriu portas.

Como o pai estava a trabalhar, levei comigo o avô e o tio (padrinho). Quando chegamos, a senhora do cartório paroquial lamentou-se que não sabia se ia conseguir ligar o computador para emitir o documento necessário, que estava meio avariado e que se desligava com muita frequência. Ora... o meu pai trabalhou em informática a vida toda e o meu irmão percebe tanto ou mais que o meu pai porque adora essas engenhocas informáticas. Claro que o meu irmão se ofereceu para ajudar a senhora e conseguiu resolver o problema.

O padre e a senhora ficaram tão encantados com a ajuda inesperada que nem se lembraram de perguntar mais nada para além do nome do bebé, pais e padrinhos. Como entretanto se fez tarde e o padre tinha uma missa de sétimo dia, não consegui trazer o documento. Mas sexta feira vou lá buscá-lo. 'Tá feito!

3 comentários:

Mami ( Sónia ) disse...

Olha que sorte!!!

Pat disse...

Boa!! Ainda bem!! :)

(em relação ao curso, gostava taaaaanto, mas esse custo para mim, neste momento, é impossível!! Já assim me custa chegar ao fim do mes com dinheiro na conta, mas enfim, haverá outros e talvez esteja mais "desafogada"! Obrigado por te teres lembrado)

Eu disse...

bemmmm! que sorte!