terça-feira, 17 de abril de 2012

Xixi na cama

Ontem o João fez xixi na cama. Não foi à noite, foi ao final da tarde. Molhou o colchão todo. E ficou de "castigo".
Sou mais que tolerante a acidentes, mas durante o dia já não acontecia nenhum há meses. E ele estava de pé em cima da cama a ver o dito cujo escorrer pelas pernas abaixo. Não se afligiu, não chamou por nós, nada. Se foi de propósito? Acho que não, mas que ele não se preocupou muito lá isso não. E por isso não gostei e pu-lo de castigo. Sem gritos, sem grandes zangas. Apenas uma coisa: a televisão ficou desligada até ele ir dormir.
Ele percebeu muito bem o castigo. De tal maneira que não a pediu para ligar. Fez uma pequena e cautelosa tentativa que foi logo negada. Não voltou a tentar. Fiquei satisfeita. Por ele ter percebido e aceite o castigo. E pelas tentativas dele perceber o quão aborrecida eu ainda estava com a situação sem o perguntar directamente. Revi-me nele. :-) De facto eles, nesta altura, não são mais do que fotocópia de nós mesmos.

1 comentário:

Pat disse...

Ai que sorte amiga!!! O meu tem dias em que não faz nada fora da sanita, outros ainda há em que é "cada tiro cada melro". Chego ao desepero!! Mas perseverança é o meu nome do meio!!!