sábado, 15 de setembro de 2012

Da escola 3

Está perfeitamente integrado e a adorar. O imenso espaço ao ar livre que a escola tem ajudou muito, tenho a certeza. Mas as pessoas também, claro.

Depois da primeira semana em que ficava lavado em lágrimas e tinha que ser arrancado do meu colo, na segunda semana ficou com um grande sorriso em cada dia. E desde aí que fica assim, feliz. Dá-me um beijo e vira costas para ir dar um beijo à educadora, a (B)Isabel (como ele lhe chama).

Sabe o nome de todos os meninos, sabe que alguns ainda estão tristes porque tem saudades dos pais, mas ele não fica porque o papá e a mamã vão trabalhar e à tarde o avô vai buscá-lo. Sabe que vai almoçar a um refeitório (já ia na outra escola, mas enfim) e que o quarto de banho é dos meninos grandes, não há cá fraldas. Sabe exactamente o cabide onde ele (e cada um dos outros) deve pôr a mochila, mesmo ainda não tendo a fotografia deles. Distribui beijos às educadoras e auxiliares quando chega e quando o avô o vai buscar.

Tive os maiores elogios por parte da educadora e auxiliar que me deixam afogada em baba até hoje: que era muito bem educado, muito carinhoso, muito sociável, nada conflituoso, muito autónomo, comia muito bem... só dormir a sesta é que não é o forte dele. E em casa é a mesma coisa: dorme muito bem de noite, para dormir a sesta é uma verdadeira perda de tempo para ele. Obviamente que fiz questão de partilhar estes elogios com as educadoras da outra escola, que o facto dele ser assim é também obra delas.

Estamos felizes, e isso é que interessa!

Sem comentários: